Devemos entrar de GREVE?

Você está satisfeito com a situação da Educação em Minas? E você acredita que as coisas podem mudar, podem melhorar? Como? Qual é a melhor maneira de demonstrarmos nossa indignação? Com base na sua experiência quais são suas propostas concretas para melhorar toda esta situação? A greve não é uma solução eficaz e definitiva, mas é uma das ações concretas, possíveis para o momento.

Mas a greve vai prejudicar os alunos? Sim, de imediato sim, mas iremos prejudicá-los muito mais se mantivermos um pensamento imediatista que desconsidera todas as demais gerações que ainda precisarão do ensino público. O que você pensa, quando lembra que talvez tenha de matricular seus filhos ou seus netos numa escola pública daqui a alguns anos? A quem interessa a má qualidade e a precariedade da escola pública? A quem interessa a ignorância dos filhos da classe trabalhadora? Aos donos das escolas privadas e às elites econômicas e políticas, aos patrões e aos governos capitalistas.

Mas o sindicato não funciona, muda de ideia e não está verdadeiramente do nosso lado… Mudar de ideia, não é um problema quando se reconhece um equívoco e o sindicato somos nós. O sindicato que queremos só vai existir o dia que cooperarmos na sua construção. A crítica, à distância, é infrutífera e por vezes destrutiva, pois apenas afasta ainda mais as pessoas dos seus instrumentos de luta, perpetuando ou piorando a situação daquilo que desagrada.

Mas só entro de greve se todo mundo entrar, uma andorinha só não faz verão. O IDEAL é a nossa UNIDADE, unidos e organizados nos fortalecemos, mas esta unidade tem que ser construída pelo argumento, pelo diálogo, pela sensibilização do outro para interesses coletivos. Em última instância a decisão de parar ou não é do indivíduo. Mas como educador (a), lembrem-se, se uma coisa é certa e necessária, mesmo que ninguém a faça continuará sendo certa e necessária, e se uma coisa é errada continuará sendo errada mesmo que todos a façam. Então se você acha que há motivos, que é correto e necessário entrar de greve, o exemplo também pode se tornar uma maneira de ensinar. Nenhum coletivo começa grande.

Mas quais são mesmos os motivos para entrarmos de greve?
• As escolas estão cada vez mais sucateadas;
• As férias-prêmio foram suspensas sem justificativa, mesmo para os que estão se aposentando;
• Há aulas de tecnologia da informação há quatro meses e ainda não há laboratórios de informática funcionando;
• Vem crescendo cada vez mais uma cultura escolar da certificação, sem ênfase na qualidade, e as provas de reclassificação são sintomas desta cultura;
• O trabalho realizado fora da sala de aula (planejamento de aulas, correção de testes, reuniões de pais, tarefas administrativas, preenchimento de diários, etc.) é maior do que o possível de realizar no tempo destinado a isto;
• A progressão na carreira deveria ter sido paga em fevereiro deste ano e até maio não houve o pagamento;
• O governo de Minas não paga vale-transporte para os profissionais da educação;
• Falta segurança empregatícia para os trabalhadores da Lei 100;
• Não se contrata profissionais substitutos, quando um(a) secretário(a) ou auxiliar de serviços gerais pede algum tipo de licença na escola;
• A Educação Física e o Ensino Religioso foram retiradas das séries iniciais;
• A profissão professor é cada vez menos desejada pelas pessoas;
• Vários profissionais migram das escolas públicas para a privada em busca de condições salariais e de trabalho “menos piores”;
• Há uma demora exagerada para conceder promoção por escolaridade, o que deveria ser feito imediatamente ao término da formação continuada de cada profissional;
• Há uma grande rotatividade do quadro de professores o que impossibilita a construção de projetos coletivos de longo prazo;
• O salário está achatado. Nosso salário não permite satisfazer as nossas necessidades básicas. Muitos professores tem que realizar atividades adicionais para complementar sua renda. Segundo a pesquisa abaixo que compara os salários dos professores em todos os estados Brasileiros(http://www.cut.org.br/sistema/ck/files/ANALISE-COMPARATIVA.pdf.) Se constatou (p.21) a queda crescente da remuneração dos salários dos professores de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. A participação de MG no PIB brasileiro é vinte vezes maior que a do Acre e Roraima, que pagam salários melhores aos seus professores. Fonte:http://www.terra.com.br/economia/infograficos/pib-do-brasil/. Os dados são relativos ao ano de 2010. O salário do professor em MG é o 19º entre os estados, atrás de estados vinte vezes mais pobre.
• O Brasil é o país com menor gasto por aluno nas escolas de ensino médio entre 32 nações com dados analisados pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Em 2010, a despesa por estudante na rede pública brasileira de ensino médio foi de US$ 2.148, quase a metade do dispêndio da Argentina (US$ 4.202) e um quinto do que Espanha, Reino Unido, Suécia e Japão gastaram por aluno no ano (cerca de US$ 10.000). (http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/ocde-brasil-o-pais-com-menor-gasto-por-aluno-no-ensino-medio-entre-32-nacoes-8801755#ixzz31Yqj3o3i)

Mas o que se reivindica e faz sentido reivindicar?
• Cumprimento dos Acordos Firmados por parte do Governo;
• Abertura das negociação da Pauta de Reivindicações;
• Nomeação dos Concursados para todos os cargos vagos;
• Abertura de novo concurso público;
• Retorno dos Professores da Educação Física e do Ensino Religioso no Ensino Fundamental (1º ao 5º anos);
• Investimento de 25% dos Impostos na Educação;
• Reajuste anual do nosso salário de acordo com o custo aluno, conforme determina a Lei Federal do Piso Nacional da Educação;
• Plano de Carreira Nacional acoplado ao Piso Salarial Nacional;
• Que as disciplinas sejam de responsabilidade dos professores habilitados nestas disciplinas;
• Atendimento digno no IPSEMG;

E as consequências negativas? Pode haver corte de ponte? Arbitrariamente sim, mas o STF decidiu que governos não podem descontar dias de greve de servidores públicos, pois o desconto do salário do trabalhador grevista representa a negação do próprio direito de greve, na medida em que retira dos servidores seus meios de subsistência. (http://sindprev-al.org.br/informativos/stf-decide-que-governos-nao-podem-descontar-dias-parados-de-funcionarios-grevistas/).

Mas eu posso fazer greve? Não vou ser demitido? Greve é um direito constitucional. Todos tem direito de fazê-la. Professores e demais servidores, efetivos e contratados (designados e os ex-trabalhadores da lei 100), estando em estágio probatório ou não! Não importa a natureza do vínculo trabalhista. Todos são iguais perante a lei (…) (art. 5º da Constituição). Não pode haver demissões de quem participa da greve. Ninguém pode ser demitido por participar de movimentos em defesas de seus direitos. A própria lei de greve, cuja aplicação ao servidor público é aceita pelo STF expressamente protege o grevista da demissão no artigo 7º, parágrafo único. O STF, consolidando este entendimento, editou a súmula 316: A SIMPLES ADESÃO A GREVE NÃO CONSTITUI FALTA GRAVE. Quando os governos julgam a greve ilegal a partir de uma determinada data, com algumas sanções, cabe aos trabalhadores observar as sanções determinadas a partir da data da sanção.

E a reposição? Todos têm direito e dever de repor as aulas depois. E a reposição é fruto de acordo entre o sindicato, representantes da categoria e o Governo. A Direção da escola e coletivos isoladamente não tem prerrogativa de decisão. Somente após findar o movimento é que o calendário de reposição é discutido com a categoria e aprovado em assembléia.

Hoje haverá uma reunião no Sind-UTE – Uberlândia, às 17:30 para discutir a questão. O endereço é Av.Paes Lemes, 382. Bairro Osvaldo. Participe!

Por: Antônio Marques – Professor de Filosofia – Escola Estadual Bueno Brandão – Uberlândia

Acessem nosso Blog: www.socialistalivre.wordpress.com

cropped-w10003247_235356923332503_1987199304_n.jpg

Anúncios

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Galeria | Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.

14 respostas para Devemos entrar de GREVE?

  1. Infelizmente, o que tem afastado os professores das greves é o corte de ponto. Com o salário já não dá para sobreviver direito, quem dirá sem ele. O professor está desvalorizado em todos os sentidos. Ele já não tem mais poder de compra, esta desprestigiado entre os alunos – já que nenhum deles quer seguir está profissão – enfim, se fossemos enumerar todos os problemas dessa profissão este texto não acabaria.

    • Os patrões e governos capitalistas nada têm a oferecer aos trabalhadores, só repressão e exploração. Por isso a classe trabalhadora jamais pode deixar se levar pelas truculências dos inimigos de nossa classe, companheiro Paulo Henrique.

      • Gracias Ferraz disse:

        Fazia tempo que não lia algo tão preconceituoso e discriminatório ao mesmo tempo. Essa criatura deve ser autodidata. Por isso o país é o que é.
        Nem o Chile escapará da maldição socialista. A melhor educação de toda América Latina em pouco tempo estará no nível desastroso da nossa! Trágico!

      • ygor disse:

        Socialista Livre deve ter algum problema de saúde e de educação vc não entende mesmo, depois de postar um comentários desses , seria melhor vc procurar ajuda médica !!!

      • Rubia disse:

        Gracias, é de lamentar que a America Latina inteira tenha que conviver com esse fantasma do socialismo, e de outros “ismos”, que só corroboram para a derrocada social, intelectual e moral deste continente.

        Não é possível aceitar essa anestesia que toma conta do Chile e de setores da opinião de outros países da América Latina, ao que me parece, estão pavimentando um caminho para novos e velhos populismos. A radicalidade destrutiva das propostas da “Nova Maioria”, agora consolidada com essa socialista Michele Bachelet, deixa em evidência que elas se enquadram no socialismo cubano-bolivariano, ao estilo da Cuba comunista e da Venezuela chavista.

        Depois de anestesiar o Chile, prepara um sistema de governo burocrático-populista, para estabelecer por lá uma ditadura “democrática” na aparência, mas na realidade despótica, semelhante ao que vem acontecendo no Brasil.

      • Eddy disse:

        Socialistas Livres, Gilber, Gilvan e Cia a esquerda caviar está sendo muito oprimida!
        Tudo culpa desse capitalismo opressor, que é muito malvadão! kkkkkkkkk…..
        No socialismo livre só não haverá escassez da morte!

      • Wilson disse:

        Por incrível que pareça, teve um aluno meu que comentou sobre uma professora dando aula sobre a revolução e disse que era justificável a tomada de terras e que delinquente é vitima da sociedade que não deu oportunidade.
        Durante determinado momento do final de meu ensino fundamental e todo ensino médio, matei muitas aulas, só comparecia há muitas e nem prestava atenção… hoje me arrependo de não ter feito mais isso! As poucas aulas que eu prestei atenção só eram doutrinação ideológica que atrasou meu desenvolvimento intelectual e moral.

    • Jurema de Lourdes Giordani disse:

      Paulo Henrique, os professores deveriam criar um movimento independente dos Sindicatos siocialistas caça-níqueis e exigir atuação efetiva do Governo na criação de leis que protejam os professores de agressões verbais ou físicas.As escolas devem aceitar apenas alunos e expulsar os marginais das salas de aula.Nesse momento, o salário é causa irrelevante diante das graves e assustadoras condições enfrentadas por quem atua nas escolas públicas.As Secretarias cobram metas de produtividade como se cultura e aprendizado fossem manufaturas.Valorizar é pouco, é preciso preservar a classe, se não quisermos adotar o ensino domiciliar em alguns anos. Tal como os tipógrafos, torneiros-mecânicos, datilógrafos e outras profissões, o professor desaparecerá, não apagado pela tecnologia, mas pela total impossibilidade de atuar na Sociedade.

  2. Beatriz disse:

    Sind-UTE/MG “Sindicato do Tumor” o câncer no Brasil!!!

  3. Olmira Piana S disse:

    Um partido (PT) que mata índio, Educação e saúde, você espera mais o quê? Acordem para essa realidade, o Brasil continua sendo um País TUPINIQUIM. O povo que se manifeste em massa e aí eu quero vê como vai ficar. Esses parasitas políticos têm que parar na cadeia, todos eles. O que acontece é que o País é mundo grande e cheio de preconceitos com relação a cada Região, portanto deveria ser dividido pelo ao menos em quatro Nações. Dessa forma acabaria com os sacanas mamadores do dinheiro do homem trabalhador em sua maioria. Não acredito em Presidente(a) turista que faz viagens FARAÔNICAS AS NOSSAS CUSTAS, e aí como é que fica? Acorda BRASIL……..

  4. Idilio disse:

    O professor acha que é o único profissional mal pago do país, e isso já virou muleta.
    Se entrego uma obra a um pedreiro e o trabalho sai malfeito, é o profissional que é ruim, o mesmo vale para os alunos.
    Não existe aluno burro, existem maus professores.

  5. Idilio disse:

    Valorizar os professores em primeiro lugar sim, depois preparar melhor os professores por que muitos saem de uma faculdade sem estarem preparados para entrar numa sala de aula e ensinar, se o aluno não entende a materia ele manda o aluno pesquizar em livros , internet etc., enrola e não sabe explicar questões simples ( obs.: não é todos os professores ) ,mudar o conteúdo e a didatica das aulas, os programas de ensino , exigir mais do aluno, incentivar mais o aluno. Muitos professores e diretores hoje não querem conversar com o aluno pasa saber pq ele não se interessa pelo estudo, acham que é obrigação dos pais , mas nem sempre são os pais os responsaveis , eu já fui aluno também . A primeira vez que fui para a FACULDADE, abandonei, pois o professor não sabia explicar a matéria, e quando era questionado o porque , não conseguia explicar.
    Gostária de saber porque o conteudo do ensino de uma escola particular , é mais puxado do que escola publica? Qual a desculpa? Pois já estudei em escola pública, e também em escola particular..

  6. Idilio disse:

    e claro que precisamos ter bons salarios.mas com certeza há prof que ganha muito pelo q faz e prof q ganha muito pouco pelo q produz o que falta na vdd e prof compromissado com a educação,com zelo com a coisa pública,em todos setores do funcionário publico há aqueles de lembram somente do 5ª dia útil de cada mes.

  7. Querencio disse:

    Os Mullas sindicalistas socialistas livres pensam que conseguem enganar, quase…mas na verdade não engana ninguém!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s