Sordidez capitalista: lutadores do Sind-UTE/MG assaltados mais uma vez!

Ontem, pela segunda vez, viajando para Belo Horizonte a serviço das lutas do Sind-UTE/MG, em prol das melhorias das condições dos trabalhadores em educação de Minas Gerais, educação pública, esta, há tantos anos sucateada pelo Governo PSDBista de Minas Gerais, eu e meus companheiros(as) de luta de Uberlândia, Ituiutaba, Araguari, mais uma vez tivemos nosso ônibus assaltado. Ano passado fomos assaltados quando íamos participar de uma passeata em BH. Em menos de um ano, no mesmo trecho da rodovia entre Uberlândia e Araxá, fomos novamente violentados por esse crime. Os assaltantes, dois jovens encapuzados, em alguns minutos, dando tiros para cima de calibre 12 dentro do ônibus, vociferavam ameaças de morte terríveis para tocar terror nos passageiros, de forma que todos lhes entregassem o dinheiro, o relógio, o celular.

A impotência e o pavor de todos(as) perante as ameaças ao GRANDE BEM que todos(as) tem de mais precioso, A VIDA, revelava ali, mais uma vez, diante de minhas retinas, o lado mais feio e o lado mais sórdido dos relacionamentos sociais no sistema capitalista. No sistema capitalista, o dinheiro a qualquer custo é colocado acima da VIDA. E para obter dinheiro a qualquer custo, ou seja, para roubar o fruto do trabalho de outros, vale tudo. Vale, inclusive, usar de um suposto direito, o direito à LIBERDADE DE ASSASSINAR, para fazer valer o objetivo de extorquir o dinheiro de outro ser humano. Todos que ali foram assaltados eram trabalhadores assalariados, pessoas que vivem e sobrevivem com o dinheiro do próprio esforço-trabalho. Ninguém ali no ônibus, diga-se de passagem, era um burguês-rico, o qual, como sabemos, apesar de agir dentro da lei capitalista, também rouba e explora o trabalho dos outros. Em outras palavras, não estava ali no ônibus ladrão roubando ladrão burguês, furtador de trabalho dos trabalhadores. Ali estavam trabalhadores em educação que, com o suor do seu trabalho, dedicam suas vidas para educar as pessoas para um mundo melhor.

No capitalismo, contudo, não existe exceção, apesar das distinções das leis jurídicas burguesas. Roubar trabalho, ou seja, roubar dinheiro do esforço suado do outro é totalmente naturalizado e isso gera um grande conflito social, com todas as suas perversidades e sordidezes. Os delinquentes, os ditos bandidos comuns, fazem esse roubo FORA DA LEI, ou seja, fazem-no com uma arma calibre 12 em punho, tocando terror nas vítimas da sua opressão-exploração. Os capitalistas legais, por outro lado, praticam esse roubo de trabalho-dinheiro DENTRO DA LEI, protegidos pelo Estado, estabelecendo contratos trabalhistas que preveem que uma parte do trabalho do trabalhador será subtraída sem ser paga (a chamada mais-valia) para enriquecer os patrões, deixando os trabalhadores com salários minguados, mantendo o mundo repleto de desigualdade social, o que, por sua vez, retroalimenta a inveja e o roubo.

Enfim, vítimas desse processo capitalista insano, nós, os assaltados na madrugada de ontem, não pudemos sequer completar nossa viagem e participar da nossa Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG em BH. Os meliantes fizeram o motorista adentrar para uma estrada de terra, afastada da rodovia e atirou a chave do veículo fora, o que atrasou tudo, o socorro, o B.O, e todos os rituais inócuos e hipócritas da justiça burguesa. Com a liberdade de assassinar correndo solta no capitalismo; com a liberdade de roubar trabalho-dinheiro dos outros correndo solta e sendo a essência do capitalismo, seja FORA DA LEI seja DENTRO DA LEI, o capitalismo revelou para nós ontem, naquele assalto, dentre inúmeros outros assaltos que ocorrem diariamente, simplesmente mais um retrato de sua face mais sórdida.

Pessoalmente, é a segunda vez, em ônibus, que passo por essa ameaça à minha LIBERDADE DE EXISTIR-VIVER exatamente por viajar para lutar por melhores condições de trabalho na educação mineira sucateada-destruída pelo PSDB. Junto comigo, havia outros seis companheiros(as) que também passaram por isso pela segunda vez ontem. Claro que temos um problema concreto: o medo dos assaltos durante as viagens para BH tem feito com que alguns companheiros(as) desistam de seguir na luta, quando veem que a nossa própria vida corre perigo durante as nossas idas e vindas. Nem todos estão dispostos a colocar a própria vida em perigo em defesa de uma causa maior: a melhoria da educação pública mineira. Em outras palavras, como tudo é interligado nessa vida, os assaltantes, no caso, tem servido inclusive para ajudar o PSDB a continuar cometendo seus desmandos na educação pública mineira, já que os assaltos têm afugentado pessoas de nossa região de participar das passeatas e assembleias do Sind-UTE/MG em BH.

Infelizmente, contudo, ainda existem levianos que, às vezes, dizem que nós, lutadores do Sind-UTE, não lutamos de verdade em defesa dos interesses dos trabalhadores em educação. Alguns, sem entender nada da nossa luta, acreditam em mil mentiras inventadas pelos ideólogos dos governos e dos patrões para queimar caluniosamente a imagem dos lutadores sindicalistas. Aos que se deixam levar por discursos levianos deixo apenas uma pergunta para refletir: quem não luta de verdade colocaria a própria vida em perigo em defesa da organização dos trabalhadores em educação? Acredito que não. Lutamos porque entendemos que é necessário lutar para transformar essa contraditória realidade, não temos outra saída diante desse sistema capitalista cruel. Claro que não queremos ser heróis ou mártires, somos gente comum como qualquer outro: temos famílias, temos amor, temos gosto por viver. O que queremos, com esse relato, é apenas demonstrar na prática, com exemplos concretos da dureza da nossa luta no Sind-UTE/MG, que não lutamos como se fosse uma brincadeirinha política.

Se me perguntarem, face aos dois assaltos que sofremos: você teve medo? Eu digo, SIM. Tive e tenho medo. Quem não teria? Só passando por isso para sentir o quão são angustiantes esses momentos em que somos vilmente violentados por delinquentes, sentindo-nos totalmente impotentes para fazer qualquer coisa. É muito triste passar por momentos em que a sua vida não está em suas mãos, mas sim nas mãos de criminosos que fazem uso da LIBERDADE DE ASSASSINAR, com armas em punho, para fazer valer seus objetivos capitalistas de roubo. Mas, sinceramente, olhando friamente a questão, mais medo eu tenho de pensar que poucos estão na luta para construir um mundo melhor. Vejo homens e mulheres, trabalhadores(as) honestos(as), desistindo de tudo e com medo de lutar por um mundo justo. E assim, com medo, escondidos em nossos lares, talvez chegue um dia em que estejamos todos afundados no caos, simplesmente porque tivemos medo de enfrentar os perigos que os capitalistas, em todas suas faces, nos impuseram. Tenho muito medo de pensar que a LIBERDADE DE ASSASSINAR nunca seja extirpada do mundo e se torne uma rotina naturalizada-legitimada-eternizada. Defendo que quem tira a vida de outro ser humano teria de ficar em prisão perpétua isolada, ou seja, esse monstro social, não importa quem seja, se assassino rico, se assassino pobre, se presidente da república assassino, não merece nenhum tipo de convívio social. Percebo também que o capitalismo é um sistema que se baseia no roubo. No capitalismo, ou se rouba FORA DA LEI ou se ROUBA DENTRO DA LEI. E porque o capitalismo se baseia no roubo, defendo que o capitalismo tem de ser destruído enquanto sistema sócio-econômico-jurídico-ideológico ou nunca teremos igualdade e paz social no Planeta Terra.

A nossa maior riqueza é a VIDA, não são os fetiches consumistas criados pelo capitalismo. A VIDA é o nosso mais precioso BEM. Isso é apagado pela ideologia capitalista. Por isso, contra tanto caos e sordidez, defendo o sistema SOCIALISTA LIVRE. Um sistema em que o amor e o respeito à VIDA de todos seja a prioridade número UM. Assassinar e roubar, atos criados para garantir a exploração e a opressão de outros seres humanos, gerando misérias, desigualdades e delinquências sociais, não podem jamais fazer parte do SOCIALISMO LIVRE. Tenho muito medo de o capitalismo ser eternizado em toda a sua feiura, com roubos, assassinatos, explorações, opressões, desigualdades e exclusões sociais. Por isso, mesmo com medo, não posso desistir de seguir lutando, colocando a própria vida em risco. Que nossa luta não seja em vão. Ou perecemos no caos que se aprofunda. Dia 21 de maio começa nova GREVE dos trabalhadores em educação de Minas Gerais. Claro que correremos novos e grandes riscos, mas será que vamos deixar o medo do corte de ponto, o medo do corte de emprego, o medo do corte dos confortos físicos nos derrotar-assombrar mais uma vez? Diria Guimarães Rosa, VIVER É PERIGOSO. Eu rediria: VIVER É SEMPRE PERIGOSO.

Aos que tiveram a paciência de nos ler até o final, meu sincero muito obrigado.

Por: Gílber Martins Duarte – Militante Socialista Livre do CSL/CAEP – Sind-UTE/Uberlândia/MG – Doutor em Análise do Discurso/UFU – Professor da Rede Estadual de Minas Gerais – Membro MEOB – CSP-CONLUTAS.

Acessem nosso Blog: www.socialistalivre.wordpress.com

cropped-u10013734_235352529999609_858194854_n1.jpg

Anúncios

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Galeria | Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

19 respostas para Sordidez capitalista: lutadores do Sind-UTE/MG assaltados mais uma vez!

  1. Beatriz disse:

    Bem feito seu mané! Foi vc quem defendeu num artigo que tinha sido assaltado quatro vezes, e que bandido sofre, que um deles teve parada cardíaca….e outras conversas de comunista. Deus tarda mas não falha. Ainda tem a cara de pau de relatar isso. Nos somos assaltados diariamente pelo governo, pelo estado. Agora vc vem com esse mimimi…seu embusteiro.
    Bandido não tem ideologia seu boçal. Vc que escracha policial e depois pede socorro.
    Isso é estado, estamos em guerrilha urbana, que vcs dos direitos dos manos defendem esses bandidos. Vcs que pregam diuturnamente essa bagunça com esses políticos esquerdistas. E a tendência é piorar. Deus salve o Brasil desse comunismo que esta sendo implantado a passos largos.

    • Sabe de nada, FAKE Beatriz!

      • Beatriz disse:

        Os criminosos que te assaltaram também pensam diferente seu mané. Fake é vc embusteiro.

      • Beatriz disse:

        O expediente de satanizar o adversário revela indigência mental e despreparo para a convivência democrática. Não conseguem reconhecer o ambiente social em que vivem.
        É triste e lamentável!

      • Quem deseja que alguém seja assaltado, AMEAÇADO DE MORTE, como você disse aqui em comentários nesse post, dizendo “bem feito seu mané”, para mim é um verme como qualquer outro bandido, FAKE BEATRIZ. Me recuso a conversar com você de hoje em diante. Você não tem moral para ouvir NENHUMA PALAVRA MINHA MAIS NESSA VIDA. Cure-se! Ass: Gílber.

      • Professor João disse:

        O que o Marx o odioso e ideologista diria? Leia mais sobre esse verme da sociedade! BH está impossível, e não está baseado somente na educação….assaltos todos os dias em ônibus e não são por pessoas pobrezinhas não…são jovens que querendo celulares caros, pra ter grana fácil! As palavras que usam na ação? Me da se não morre desgraça, vai porra, se não meto uma bala na sua testa, e ameaça e aponta a arma…acha q isso é social? Não é puramente MALDADE está no ser humano, para isso não existe direito humano!

      • Beatriz disse:

        Se você tem opinião…
        …e não tem medo de expô-las, esteja preparado para enfrentar um batalhão de ignorantes raivosos socialistas livres.

  2. Rubia disse:

    Desculpe socialista, Num grupo com mais de 9000 membros ao qual pertenço, um ativista comunista diz que os assaltos na Zona Sul do Rio são “distribuição forçada de renda”. Se vale para um capitalista assaltado, também tem que valer para um comunista, afinal, assim é a democracia.

    • Na lógica dos bandidos, eles estão participando da renda. Mas no fundo, defender o roubo, em qualquer hipótese, é um equívoco, pois o capitalismo é que é o sistema do roubo. Não se combate o roubo roubando, pois isso não criará uma nova moral para o mundo. Nós, socialistas livres, jamais praticamos o roubo e achamos que outro mundo só será possível quando não houver mais roubo. Inclusive, as grandes propriedades dos burgueses devem ser estatizadas, pois elas são provenientes de roubo de trabalho dos trabalhadores.

  3. Dionisio disse:

    O que esperar de um pais com tantos analfabetos funcionais além do gigantesco número de ignorantes comunistas diplomados ?

  4. Eddy disse:

    Seu trouxa. Apesar dos pesares, o sistema capitalista traz condições de melhoras em todo o mundo. A todo o momento ele pode ser aperfeiçoado. Já o comunismo não deu certo em lugar algum do mundo. Ele engessa a capacidade empreendedora individual de cada ser e o impossibilita crescer economicamente. Dando esse privilegio unicamente ao Estado. Isso é fato no Brasil: a 12 anos o PT comunista está no poder e não fez nada para reduzir a carga tributária sobre as nossas costas.
    E não me polarizem. Se uma ideologia comunista se preocupa tanto com o bem estar dos menos afortunados por que não tornar esse fardo menos pesado?
    É fato; as pessoas preferem o capitalismo selvagem e opressor de países desenvolvidos como os EUA à nossa economia promissora ao comunismo onde se paga duas vezes por um produto mais um terço.
    Afinal de contas, quem regula os impostos não são os burgueses.
    Não se iludam com essa utopia socialista. Existe corruptos no capitalismo assim como o mensalão esta no PT comunista.
    “O caminho do inferno está pavimentado de boas intenções”

    • O capitalismo é um inferno. No capitalismo a ganância por obter dinheiro à custa do esforço dos outros é a grande regra. No socialismo stalinista, também a burocracia estatal roubava trabalho dos trabalhadores. Defendemos o SOCIALISMO LIVRE, nem capitalismo, nem stalinismo, um sistema em que a liberdade de roubar, a liberdade de assassinar, a liberdade de explorar, a liberdade de oprimir são radicalmente proibidas, com PRISÃO PERPÉTUA para quem ASSASSINA.

  5. Capitão Pacheco disse:

    É bem fácil de entender a reação dos internautas, pois diariamente vemos membros comunistas e socialistas livres brasileiro e do governo federal trabalhando para reduzir penas, defender bandidos dos mais diversos e por várias vezes as do professor Gílber dizendo que os bandidos não são maus, mas vitimas da sociedade capitalista e que esta sim é má.
    A reação de quem trabalha diariamente para conquistar seus sonhos de consumo, veem estas conquistas serem destruídas por marginais e depois ouvem os representantes de nossa esquerda política defenderem os bandidos, marginalizarem os policiais e ainda usurparem nossos impostos, traz revolta sim e o desejo que estes defensores da bandidagem se tornem vítimas dela.
    Eu particularmente gostaria de ver todos aqueles que defendem bandidos, terem suas casas invadidas por eles, para ver se acordam para o fato de que não é defendendo bandidos que se faz justiça social, mas defendendo melhor qualidade de educação, saúde, trabalho e renda vinda do trabalho, não das esmolas sociais que são distribuídas para garantir voto de cabresto.
    O professor Gílber pergunta se ele merece ser vitima de marginais e eu respondo, merece sim.

    • Você, como todo capitalista, não quer ver o próprio sistema criminoso que é o capitalismo. Você acha “natural” viver do roubo. A burguesia vive do roubo de mais-valia. Enriquece roubando TRABALHO NÃO PAGO DOS trabalhadores e isso dentro da LEI. Os delinquentes, impossibilitados de roubar dentro da LEI, como os burgueses fazem, roubam com arma em punho. E dinheiro é um símbolo que representa o trabalho. Burguês e bandidos são ladrões de trabalho dos outros. Por isso o capitalismo é podre. Um capitão defender o sistema capitalista do roubo e desejar que pessoas merecem ser roubadas, sinceramente, isso é uma lástima. Você está defendendo que algumas pessoas merecem ser roubadas? Professores honestos merecem ser roubados? Que país é esse? Ass: Gílber,

  6. Capitão Pacheco disse:

    Não o conheço pessoalmente o Gílber, mas acho que esse episódio mudou a visão dele, mesmo que minimante. Óbvio, ele não vai reconhecer publicamente, mas qualquer um que passa por um choque desse perde um pouco da fé no ser humano.

    Eu já passei e digo: Infelizmente não acredito na recuperação de 90% dos marginais. Só acredita na recuperação quem nunca deu de frente com um.

    E isso não é culpa do sistema carcerário, das mazelas que os detentos passam quando da detenção. O processo de formação de um bandido começa do momento que ele nasce. Com 10 anos de idade as chances dele se recuperar e se tornar um homem de bem no ambiente em que ele é criado já é bem remota. Com 15 anos, ou menos, o bandido começa a colocar em prática tudo aquilo que ele absorveu no processo de “banditização”. Depois disso, meu caro, são raros os casos de recuperação.

    E a tendência é piorar. Antes tínhamos criminosos roubando para colocar comida dentro de casa. Eles roubavam para dar um teto para sua família. Hoje eles roubam para usar tênis de R$ 1.000,00. Roubam para noitadas de luxúria regadas a bebidas importadas.

    Resumindo, independente do por quê que tal fulano se tornou bandido, eu que não quero pagar a conta dele. Se alguém tem que pagar por isso que seja ele. Sou contra os defensores dos direitos humanos. E tenho certeza que o Gílber mudará sua opinião sobre bandido. Ela não vai dizer, mas ele mudará.

    • Os bandidos são também fruto de um sistema capitalista baseado no roubo. Em ônibus é a segunda vez que fui assaltado. Na rua, duas vezes. O assalto, ameaçando a vida das pessoas, é um crime horrendo. Usar da possibilidade de assassinar alguém para obter dinheiro é fruto da ideologia capitalista podre que diz: VALE TUDO PARA TER DINHEIRO. Podre isso. Por isso temos que distribuir renda, acabar com o capitalismo, com a exploração, com a opressão, e colocar em PRISÃO PERPÉTUA quem tirar a vida de alguém. Essa é proposta que nós, socialistas livres, sempre defendemos. A liberdade de assassinar não faz parte da nossa moral, não importa quem puxa o gatilho.

  7. Castrinho disse:

    O gílber merece sim ser assaltado e só assim verá o quanto é humilhante ser despojada dos seus bens e quem o defende ele nunca foi vítima de assalto. Para quem defende comunismo e o fim da liberdade e propriedade. Merece ser assaltado.

  8. Chemin De Saint Jacques disse:

    Olá Gílber.
    Para início de conversa gostaria de esclarecer que acho um absurdo o que aconteceu com você, assim como acontece diariamente a dezenas – pra não dizer centenas – de brasileiros honestos e que trabalham arduamente para receber seu merecido – e muitas vezes injusto – salário de cada mês. Realmente você deve agradecer aos céus por suas perdas terem sido apenas materiais.
    Eu tampouco compactuo com a ideia de que “bandido bom é bandido morto”, nem sou a favor de que pessoas sejam julgadas no calor das emoções e estejam sujeitas a ações de “justiceiros” que resolvem fazer justiça com as próprias mãos. Mas tampouco posso dizer que não compreendo a reação das pessoas em relação ao seu caso. Não concordo, mas compreendo.
    Sou porto-alegresense. Há quase 10 anos meu marido sofreu um sequestro relâmpago às 6 da tarde no bairro Rio Branco em Porto Alegre, enquanto me esperava sair do trabalho. Ele deu graças à Deus por eu não estar ainda no carro com ele no momento em que 3 adolescentes (inclusive uma menina) entraram no carro e apontaram uma arma na cabeça dele. A nossa sorte foi que ele é a pessoa mais calma que já conheci e fez tudo “direito” e inclusive mostrou caminhos menos congestionados para aqueles infelizes (que certamente hoje devem estar soltos e com uma longa ficha de assaltos e mortes no CV deles) saíram da cidade e o levarem para uma vila de Porto Alegre onde o deixaram a pé e claro, sem um tostão. Mas vivo! E incrivelmente no Brasil, permanecer vivo já é uma grande bênção!
    Pouco tempo depois fui assaltada por outros dois adolescentes de bicicleta às 4 da tarde em frente ao shopping do bairro onde morava (Menino Deus). Na mesma época sofremos diversos outros problemas, sobretudo “ameaças” de assaltos de pessoas que costumam perambular pelo bairro, que nos pediam dinheiro diariamente saindo do super e muitas deixavam claro que eram “ex-detentos”, ameaças que quando morávamos na Vila Jardim não fazia tanto parte do nosso cotidiano, embora escutar tiros durante a noite, sim. No Menino Deus tem um “chamariz” para estas pessoas chamado de Sopa dos Pobres e que aliás me parece muito válido como proposta (inclusive muitas vezes ajudei), mas acho que o local é completamente inapropriado, uma vez que as pessoas que vão buscar suas refeições ali não tem moradia no bairro e nem obviamente condições de pagar transporte para ir até lá buscar a refeição e voltar para suas moradias. Conclusão: vivem perambulando pelas ruas do bairro para não perderem a refeição e tem bastante tempo livre para mendigar e complementar a renda roubando, se assim desejarem. Sei que não é a maioria que faz isso, mas são mais de mil refeições servidas todos os dias ali e também sei que nem todos desses mil são honestos e nem conseguiriam emprego nos comércios da área.
    Enfim depois de ver tantas coisas erradas e nos sentirmos mal por trabalhar (após termos arduamente completado nossa graduação e pós-graduação) e só nos ferrar, desistimos do Brasil. Não víamos nada melhorar, só piorar e não concordávamos com o que os que eram pagos para nos representar – os políticos – faziam, deixando a situação ainda pior. Cansamos de muita coisa errada, de ralar pra caramba e de ter que viver “as escondidas”.
    Há seis anos fomos embora. Conhecemos outro mundo, vivemos de maneira igualmente honesta, mas sentíamos o sabor de trabalhar e crescer, sem medos, sem “culpas” como muitos sentem até de comerem enquanto o vizinho não tem dinheiro para comer – muitas vezes porque assistia tv enquanto você trabalhava! Eu sei que nem todos tem a mesma chance na vida, mas uma grande parte não trabalha para ter a mesma chance na vida!
    Venho de uma família pobre, de imigrantes que entraram de carona no Brasil. Nada entrou de graça na nossa casa, mas tudo o que entrou foi honesto e com muito suor. Não houve ajuda, não houve pessoas defendendo direitos que pudessem beneficiar meus pais por serem imigrantes (meus pais entraram legalmente porque meu pai tinha documentos brasileiros). Hoje meus pais tem uma vida confortável, tem 1 imóvel para morar, tem uma carro dos anos 90 e recebem 1 (um) salário mínimo de aposentadoria cada um! Quando meu pai se aposentou tinha direito a quase 1 e 1/2, hoje os reajustes injustos já o fizeram chegar a praticamente 1. Se não fosse a economia que fizeram a vida inteira, não poderiam nem pagar os remédios que minha mãe toma com esse salário! E quando falo de economia que fizeram explico: meus pais nunca pisaram num restaurante simplesmente porque resolveram jantar fora. Só entraram para comemorar casamentos ou formaturas. E de pessoas bem chegadas. Nem 1 tostão foi desperdiçado. Todo o dinheiro foi investido e para eles é um orgulho dizer que puderam pagar faculdade para 3 filhos, hoje formados e com as vidas independentes. E sabe o que escutamos a vida inteira de meu pai? “Bandido tem que matar!”. E até muito pouco tempo atrás tinha brigas homéricas com ele por isso. Não sou a favor disso, mas preciso confessar que entendo a revolta dele. Ele também teve seus maus episódios e inclusive piores dos que você, meu marido ou eu tivemos.
    Talvez morar 6 anos fora do Brasil me fez enxergar o que aí dentro todos se acostumam: o quão cruel é viver nessa realidade de insegurança e o quanto isso tem piorado dia após dia. A ponto de que ano passado decidimos voltar para o Brasil para estar perto de minha mãe, agora doente, e de todas as belezas que o Brasil oferece e não conseguimos, nos mudamos para um país mais perto do Brasil – que tampouco é um paraíso, mas tampouco é o inferno brasileiro – porque todas as vezes que íamos ao Brasil a vida de lá já não nos cabia mais.
    Eu não conheço sua luta Gílber, e acredito no que diz que seja honesto e válido, embora não sejam meus ideais. Mas já tenho um pouco mais de mundo e sei que nem tudo o que parece maravilhoso na teoria funcione na prática. Conheci Cuba, embora tenha pago para ficar apenas num resort resolvi conhecer as cidades, conversar com as pessoas e “confirmar” absurdos que havia escutado de muitos refugiados que conheci no país onde morava e vi o quão cruel o bonito ideal de Che Guevara pode ser na prática. Pessoas trabalhadoras prisioneiras de um regime onde apenas quem está no poder ganha. Entrei com uma ideia em Cuba (longe de ser simpatizante do comunismo) e saí de lá com outra, impressionantemente pior. E hoje entendo muito bem a expressão “esquerda caviar”. Gostaria de conhecer um comunista que realmente viveu a vida “do outro lado”, do lado do oprimido, do lado dos que trabalham mas só se ferram porque o governo que dizia lutar pelos seus direitos está ocupado demais em tirar seu dinheiro para comprar o caviar que comem enquanto você vive de “ração” como a comida é chamada por lá.
    O comunismo só é bom para o que não quer precisar fazer esforço: o que quer ganhar pão de graça e o que quer comandar sem sofrer as consequências do seu regime.
    Conforme já deves ter notado, Gílber, não compartilho da mesma ideologia que você. Mas isso está longe de dizer que gostaria que algo ruim acontecesse para você.
    E se hoje digo que não concordo como alguém pode assim desejar, é porque passei 6 anos olhando tudo de fora, fora do “calor das emoções” e RACIONALMENTE ver alguém desejando o mal de outro, honesto e correto como você se diz ser (digo isso porque novamente: não conheço seu trabalho, mas acredito sim que você pode ser tão ou mais merecedor que eu defendendo idéias diferentes), me parece um absurdo. Mas como ser apenas racional um cidadão que vive diariamente com os nervos à flor da pele, com medo, enjaulado em suas residências, em seu carro, em shoppings com segurança e ainda assim inseguro???
    O comunismo, bem como a esmagadora maioria dos partidos de esquerda, sempre defendeu a ideia de que todos tem que ter o mesmo. E no Brasil desde o início a idéia de colocar “pobre X rico” sempre foi muito bem aceita e utilizada pelos partidos. Então como um cidadão que trabalha e consegue adquirir algum bem com o próprio suor (o que já é difícil pela quantidade de impostos que se tem para pagar!) pode ver um caso desses e não pensar “sorte minha que não foi comigo e foi com ele”? E mais, como pode não desejar que ao invés de ser com um parente, que compartilha da mesma vida e idéia dele que acha que os marginais e ladrões (nisso inclui milhares de politicos brasileiros) devem ser punidos sim ou sim, não se sinta aliviado ao ver que o assaltado finalmente é alguém que defende um regime que incentiva isso??? Um regime que diz que todos tem que ter o mesmo, mas no entanto, dentro do próprio regime uns tem mais que os outros??? Não estou defendendo voto de pobreza para quem defende uma melhor distribuição de riquezas e recursos, estou apenas dizendo que a idéia “pobre X rico” foi implantada pelos próprios que defendem o regime comunista. A idéia de que o dinheiro é “coisa ruim” se tiver mais na mão de um que de outro é do próprio regime.
    Lutar para combater a pobreza, a miséria e os desfavorecidos não é luta exclusiva do comunismo. Aliás conheço pessoas mega capitalistas que fazem muito mais pelos pobres que os governos. Conheço pessoas que são assistentes sociais, advogados, médicos, que tem suas lutas direcionadas para pessoas carentes, inclusive em comunidades quilombolas e indígenas e nem por isso fizeram voto de pobreza ou são de partidos de esquerda. E pra mim não faz a mínima diferença, já que o importante é o que fazem e não o quanto ganham.
    Isso é uma realidade bastante real no Brasil. Os que estão no poder defendendo a distribuição de dinheiro (que não é de renda pois não é fruto do trabalho de cada um, é de dinheiro e de todos!) igual entre as pessoas que trabalham ou não, está indo governar de chinelos de dedo!
    Morei num país onde a distribuição de RENDA era bastante equilibrada, mas ninguém recebia dinheiro de graça pra ficar em casa vendo tv e fazendo filho, embora o país precisasse aumentar a população. Quem trabalhava sim tinha muitos direitos (inclusive 1 ano de licença maternidade paga pelo governo e não pelas empresas), mas “grátis” mesmo não era pra ninguém. Até porque lá se tem a noção de que o dinheiro “não se cria”, sabem que do bolso de alguém sempre sai e que o bolso do governo é de todos, porque o “governo” são todos. No Brasil a idéia é que o governo dá dinheiro. Mas tirando de quem? Do caviar de grande parte dos políticos é que não é!
    Então Gílber, não leve isso para o lado pessoal. As pessoas não querem o mal do Gílber , as pessoas que hoje te escrevem querem apenas que a justiça, a mesma que aqueles “justiceiros” estão equivocadamente promovendo numa crise de nervos querem: a justiça sim ou sim. A justiça que hoje a hipocrisia faz ficar injusta, que faz com que os policiais trabalhem para os governos e os governos para os políticos.
    Você pode ser um excelente ativista com a maior das boas intenções, mas queira ou não está do “lado de cá”, defendendo os do “lado de lá”!
    Um abraço e te desejo melhor sorte no futuro. No Brasil ter sorte é bastante importante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s