Eleições 2014 – É possível uma alternativa socialista?

Nós, militantes do CSL-CAEP, acreditamos que, nas eleições 2014, deveria haver unidade da esquerda socialista legalizada em partidos, nos marcos do PCB, PCO, PSOL, PSTU, junto com outros tantos coletivos anticapitalistas e de lutadores independentes, construindo um Programa de Esquerda e Anticapitalista para o Brasil, em plenárias de base democráticas, amplamente convocadas, com participação livre dos diversos lutadores sociais, com direito a voz e a voto.

Como acreditamos nisso, fazemos mais uma vez esse chamado a toda esquerda socialista brasileira: vamos construir a unidade de todos que lutam pelo SOCIALISMO, sem colocar a vaidade partidária acima da necessidade dos trabalhadores, e sem excluir partidos de esquerda ou coletivos de esquerda por decretos preconceituosos. Aceitam o desafio?

Infelizmente, porém, o que temos visto é que os partidos da esquerda socialista legalizados na Justiça Eleitoral, a depender das suas atitudes tomadas até agora tem preferido apresentar seus partidos isoladamente, ao invés de construir uma unidade programática socialista e anticapitalista, colocando as necessidades de mudança da classe trabalhadora acima das vaidades. Os chamados de unidade que temos visto, ou excluem partidos, ou não tem tido nenhum esforço para tentar envolver a base dos movimentos sociais nessa construção político-programática tão necessária para os trabalhadores brasileiros.

Ora, essa falta de disposição para construir unidade entre todos os que lutam contra o capitalismo é um vício antigo da esquerda monolítica e um vício equivocado, pois o Socialismo Livre, Democrático, Justo não será obra de uma única corrente política ou de um único partido político, será obra de amplos setores da classe trabalhadora. A história já demonstrou que o socialismo monolítico, stalinista, burocratizado, dirigido por um partido único, sem liberdade de fração política, foi a maior das derrotas da classe trabalhadora mundial. A depender dessa visão atual da esquerda socialista, as mesmas derrotas serão construídas.

Os partidos legalizados da esquerda socialista, infelizmente, insistem na tese falsa de construir o socialismo com seu partido único, por isso pouco se esforçam para se sentar fraternalmente com todos os lutadores sociais de outras correntes ou mesmo lutadores sociais independentes para construir um programa político revolucionário e amplo para a classe trabalhadora. Querem apenas ganhar votos para suas políticas monolíticas em detrimentos de outras correntes também importantes para construir o verdadeiro socialismo, livre e democrático, um governo de toda a classe trabalhadora organizada, não o governo de meia dúzia de iluminados.

Em 2014, em nossa opinião, todos os lutadores socialistas e anticapitalistas deveriam se juntar para construir um programa mínimo e único que passaria por colocar na ordem do dia um governo socialista e anticapitalista dos trabalhadores que executasse todos os anseios que as jornadas de junho de 2013 fizeram ecoar nas ruas. Elenquemos algumas propostas:

1-10% do PIB para a educação já; 2-10% do PIB para a saúde pública já; 3- Construção de moradia popular para todos os que não têm casa; 4- Reforma agrária para todos que queiram na terra trabalhar, produzindo alimento barato para o povo, sem destruir o meio ambiente; 5- Prisão e confisco dos bens de todos que roubarem dinheiro público; 6- Estatização do transporte público com tarifa zero para estudantes e desempregados; 7- Estatização dos setores estratégicos da economia: Petróleo 100% estatal, Mineração 100% estatal; Bancos 100% estatal; 8-Fim da sangria de pagamento de juros altíssimo da dívida externa e interna.

Enfim, essas são algumas propostas mínimas que poderiam solucionar parte do descontentamento popular que ocorreu em junho/2013 e seria obrigação moral da esquerda socialista brasileira se mostrar como a direção de luta concreta capaz de executar esse programa mínimo. Ao invés disso, porém, a esquerda socialista prefere se dividir. Uma pena, para não dizer, um desastre!

No fundo, tais posições divisionistas da esquerda se baseiam em projetos questionáveis, por exemplo, o PCB tem uma política errada quando se alia ao castro-chavismo e a toda esquerda auto-intitulada “socialistas do século XXI”;  o PSTU erra quando burocratiza sua direção e se transforma em partido cupulocrático mais interessado em manter o prestígio de seus dirigentes do que em dirigir os processos de luta; o PSOL realiza cada vez mais uma triste paródia do PT e, paulatinamente, se torna uma alternativa de viés meramente eleitoreira; o PCO erra quando se nega a abandonar a CUT e a UNE e não integra nenhuma chapa de oposição, nem nos sindicatos e sequer no movimento estudantil, fazendo cada vez mais o jogo dos governistas.

Diante disso, nós do CSL-CAEP, não vendo qualquer esforço real da parte da esquerda socialista legalizada com vistas a construir um programa socialista e anticapitalista para o Brasil, iremos propor o voto crítico, de forma livre, nos candidatos da Esquerda Socialista PCB, PCO, PSOL, PSTU, mas alertando que nenhuma mudança profunda ocorrerá seguindo a direção desses partidos. Nós, do CSL-CAEP, achamos que as melhores propostas para de fato construir o Socialismo Livre, seja no Brasil, seja no mundo, só poderiam ser realizadas através da unidade de toda a esquerda socialista, em torno de um programa mínimo que de fato atendesse as necessidades da classe trabalhadora, não através dos atuais divisionismos da esquerda.

As melhores propostas programáticas não serão viabilizadas por um grupo ou por um partido isoladamente, mas só serão viabilizadas pelo empenho de toda a classe trabalhadora socialista organizada, disposta a de fato superar o sistema capitalista. Nós, do CSL-CAEP, convidamos a todos a militarem junto conosco para construirmos o Socialismo Livre, Democrático, Justo, sem MONOLITISMO, fazendo exigência a esquerda socialista legalizada que abandone seus sectarismos e que construam um programa anticapitalista para o Brasil e para o mundo. A eleição por si, com uma esquerda toda fraturada, não trará mudanças reais no Brasil pós-eleitoral. Pensem nisso!

Se você, companheiro ou companheira, tem acordo com essa tomada de posição política frente às eleições 2014, entre em contato conosco e assine também nossa TESE ELEITORAL. Nossos e-mails de contato: socialistalivre@gmail.com, diegohferreira@gmail.com, gilvanrocha50@gmail.com, mevvhmv5@yahoo.com.br, i.g.cavalcante50@gmail.com.com. Pode também nos procurar e dizer que assina a TESE ELEITORAL via FACEBOOK. Ou ainda procurar o companheiro que lhe entregou nosso panfleto eleitoral e assinar.

Baixe aqui, no link abaixo, esse DOCUMENTO ELEITORAL EM FORMA DE PANFLETO:

Eleições 2014 – CSL-CAEP

Por: Coordenação provisória do CSL-CAEP

Assinam por enquanto essa TESE ELEITORAL:

Gílber Martins Duarte – CSL-CAEP/MEOB-CSP-CONLUTAS

Mauro Nunes – CSL-CAEP/CSP-CONLUTAS

Ivanildo Cavalcante – CSL-CAEP

Gilvan Rocha – CSL-CAEP

Sueli Lima – CSL-CAEP

Diego Ferreira – CSL-CAEP/CSP-CONLUTAS

Fernando D. Oliveira – CSL-CAEP

Ângelo Barcelos – CSL-CAEP-CSP-CONLUTAS

Lídice Gomes Pimenta da Silva Pereira – Professora de História do Centro Interescolar e Bacharel em Direito – Cidade de Governador Valadares.

Rodrigo Sobreira – Eletricitário – Viçosa

Luís Fernando Bulhões Figueira – Prof. Dr. da UFES – Universidade Federal do Espírito Santo

João Batista Duarte – Prof. Dr. da UFG – Universidade Federal de Goiás

Juli Schneider – Santa Maria (RS)

Ricardo da Mata – Tradutor Autônomo

Gerson Pereira – Professor da Rede Estadual de São Paulo

Rogerio Junior – Estudante – Ribeirão Pires

Paula Morais – Estudante – Ribeirão Pires

Carlos Fernandes – Engenheiro Ambiental

Marcos Zarahi – Socialista

Lúcia Almeida – Professora da Rede Municipal de Uberlândia

Maria José Ramos – Professora do Estado de Minas Gerais

Acessem nosso Blog: www.socialistalivre.wordpress.com

cropped-w10003247_235356923332503_1987199304_n.jpg

Anúncios

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Galeria | Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

9 respostas para Eleições 2014 – É possível uma alternativa socialista?

  1. Frederico Baggio disse:

    Gílber Martins Duarte, Mauro Nunes, Ivanildo Cavalcante, Gilvan Rocha, Diego Ferreira, Fernando D. Oliveira, Ângelo Barcelos e Juli Schneider são os Rei Midas ao contrário: tudo que eles põe a mão, vira coliforme fecal.

  2. kiko disse:

    MEGA MARCHA DA OPOSIÇÃO NA VENEZUELA CONTRA DITADURA COMUNISTA! POVO AVISA QUE NÃO IRÁ PARAR PROTESTOS. DESFECHO PODE SER O FIM TAMBÉM DA TIRANIA CUBANA E DO FORO DE SÃO PAULO COM REFLEXOS SOBRE O BRASIL.

    Os cidadãos venezuelanos deram neste sábado mais uma demonstração ao mundo de que não sairão das ruas até que o regime comunista seja derrubado.

    VITÓRIA DA DEMOCRACIA NA VENEZUELA FULMINARÁ O FORO DE SÃO PAULO E SOCIALISTAS

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/03/mega-marcha-da-oposicao-na-venezuela.html

  3. Professor Paulo Ricardo disse:

    No final do ano passado, voi votado no Senado Federal o projeto para o Plano Nacional de Educação. O PNE contém as diretrizes para todo o sistema educaional brasileiro para os próximos anos. Dentre os diversos problemas que se encontram no texto, o mais grave deles é a inserção da Ideologia de Gênero em nosso sistema educacional. Na ocasião, os senadores rejeitaram a tentativa de tornar obrigatório o ensino dessa ideologia em nosso sistema educacional.

    Após a votação no Senado, o PNE foi para a Câmara dos Deputados, onde será votado por uma Comissão Especial. A votação final ocorrerá no dia 19, na próxima semana. Vários deputados afirmaram que são favoráveis à obrigatoriedade da insersação da Ideologia de Gênero. Além disso, o relator da comissão, o deputado Álvaro Vanhoni, do PT do Paraná, adotou a mesma posição defendida pelo presidente da ABGLT, ou seja, a defesa da inclusão da Ideologia de Gênero no sistema educacional brasileiro.

    Como já foi explicado em outra ocasião, a Ideologia de Gênero é uma técnica idealizada para destruir a família como instituição social. Ela é apresentada sob a maquiagem da “luta contra o preconceito”, mas na verdade o que se pretende é subverter completamente a sexualidade humana, desde a mais tenra infância, com o objetivo de abolir a família.

    Além disso, a palavra “gênero”, segundo os criadores da Ideologia de Gênero, deve substituir o uso corrente de palavra “sexo” e referir-se a um papel socialmente construído, não a uma realidade que tenha seu fundamento na biologia. Desta maneira, por serem papéis socialmente construídos, poderão ser criados gêneros em número ilimitado, e poderá haver inclusive gêneros associados à pedofilia ou ao incesto. É o que diz, por exemplo, a feminista radical Shulamith Firestone: “O tabu do incesto hoje é necessário somente para preservar a família; então, se nós nos desfizermos da família, iremos de fato desfazer-nos das repressões que moldam a sexualidade em formas específicas”. Ora, uma vez que a sexualidade seja determinada pelo “gênero” e não pela biologia, não haverá mais sentido em sustentar que a família é resultado da união estável entre homem e mulher.

    Se estes novos conceitos forem introduzidos na legislação, estará comprometido todo o edifício social e legal que tinha seu sustento sobre a instituição da família. Os princípios legais para a construção de uma nova nova sociedade, baseada na total permissividade sexual, terão sido lançados. A instituição familiar passará a ser vista como uma categoria “opressora” diante dos gêneros novos e inventados, como a homossexualidade, bissexualidade, transexualidade e outros. Para que estes novos gêneros sejam protegidos contra a discriminação da instituição familiar, kits gays, bissexuais, transexuais e outros poderão tornar-se obrigatórios nas escolas. Já existe inclusive um projeto de lei que pretende inserir nas metas da Lei de Diretrizes e Bases da Educação nacional a expressão “igualdade de gênero”.

    Por isso, temos de nos manifestar imediatamente e pedir aos deputados que rejeitem completamente a introdução da Ideologia de Gênero em nosso sistema educacional.

    Não quero que a Ideologia de Gênero seja inserida no PNE!
    Prezado (a) deputado (a),

    Peço que vote contra a inserção da Ideologia de Gênero no Plano Nacional de educação. Trata-se de uma ideologia idealizada por fundações internacionais e pelos partidos de esquerda e que tem como objetivo final a abolição da família.

    É apresentada sob a maquiagem da luta contra o preconceito, mas na verdade o seu objetivo é subverter completamente a sexualidade humana para que também a família possa ser destruída. Como se trata de uma ideologia controversa e sem nenhum fundamento científico, só resta aos seus defensores apresentá-la sob a bandeira da luta contra o preconceito.

    Se essa ideologia for introduzida em nosso sistema educacional, estará comprometido todo o edifício social e legal que tinha seu sustento sobre a instituição da família. Os princípios legais para a construção de uma nova nova sociedade, baseada na total permissividade sexual, terão sido lançados. A instituição familiar passará a ser vista como uma categoria “opressora” diante dos gêneros novos e inventados, como a homossexualidade, bissexualidade, transexualidade e outros. Para que estes novos gêneros sejam protegidos contra a discriminação da instituição familiar, kits gays, bissexuais, transexuais e outros poderão tornar-se obrigatórios nas escolas. Já existe inclusive um projeto de lei que pretende inserir nas metas da Lei de Diretrizes e Bases da Educação nacional a expressão “igualdade de gênero”.

    Diante do exposto pelo que vote contra a inclusão da Ideologia de Gênero no PNE. Não custa lembrar que estamos em ano eleitoral e que os responsáveis pela inclusão dessa ideologia em nosso sistema educacional serão lembrados nas urnas.

    Atenciosamente,
    [Seu nome]

  4. Rodolfo Aurich Balzer disse:

    FALAR …. ATÉ PAPAGAIO FALA ……O POVO BRASILEIRO PRECISA DE LIDERES DE VERDADE PARA SEREM CONDUZIDOS A LIBERDADE DO REGIME COMUNISTA, E NÃO BLÁ…BLÁ…..BLÁ…..BLÁ…..BLÁ…….

  5. Rodolfo Aurich Balzer disse:

    CLIK NO LINK E VEJA A VAIA QUE ELA LEVOU … http://youtu.be/J3s4xBgd2lg

    Dilma é vaiada por estudantes em evento em Santa Catarina
    A presidente recebeu as vaias ao defender a expansão do ensino universitário privado no país.

  6. Pingback: Eleições 2014 – É possível uma alternativa socialista? | www.socialistalivre.wordpress.com | CLIPPING DE NOTÍCIAS DA SENAPRO-PCO

  7. marcomagioli disse:

    PODEMOS CHAMAR DE PROGRAMA MÍNIMO O PARÁGRAFO ACIMA, AQUI TRANSCRITO: _____________________________________________________________________________”1-10% do PIB para a educação já; 2-10% do PIB para a saúde pública já; 3- Construção de moradia popular para todos os que não têm casa; 4- Reforma agrária para todos que queiram na terra trabalhar, produzindo alimento barato para o povo, sem destruir o meio ambiente; 5- Prisão e confisco dos bens de todos que roubarem dinheiro público; 6- Estatização do transporte público com tarifa zero para estudantes e desempregados; 7- Estatização dos setores estratégicos da economia: Petróleo 100% estatal, Mineração 100% estatal; Bancos 100% estatal; 8-Fim da sangria de pagamento de juros altíssimo da dívida externa e interna.

    ATINGIDO TAIS METAS PRGRAMÁTICAS, PODEMOS DIZER QUE ESTATIZOU-SE MENOS QUE 15% DA ECONOMIA, COM PEQUENA E RAZOÁVEL MARGEM DE ERRO.
    OS MILITARES NA DITADURA, QUEM LEMBRA? ESTATIZARAM 70% DA ECONOMIA BRASILEIRA. VALE DIZER O BRASIL PODERIA SE DECRETADO SOCIALISTA APENAS COM UMA CANETADA – TIPO: A NAÇÃO É DECLARADA REPÚBLICA SOCIALISTA DO BRASIL PARTIR DE HOJE.
    VEJA SÓ, PODEMOS DIZER QUE É UM PROGRAMA MÍNIMO. MAIS SOCIALISTA PODERIAMOS DIZER, SERÁ modernizar as relações capital x trabalho – jornada de 6 horas diárias, como já faz o sistema bancárioponta do capitalismo. Hoje, tal JORNADA é lutas das enfermeiras brasileiras. O fabuloso montante de recursos tributário APLICADO COM ESTA VONTADE POLÍTICA PRODUZIRÁ, COM CERTEZA, UM SALTO QUALITATIVO NA ECONOMIA BRASILEIRA CAPAZ, CAPAR DE SE EQUIPARAR, SENÃO FOR SUPERIOR AO SALTO QUALITATIVO DO JAPÃO PÓS GUERRA, OU CORÉIA DO SUL, E NOS PERMITIR CAMINHARMOS EM DIREÇÃO AO IDH DA FINLÂNDIA AO LONGO DO TEMPO. A ECONOMIA É GRANDE E NÃO PODE ESTAR ABSTRAÍDA DO DESENVOLVIMENTO DE UM POVO EM CONSEQUÊNCIA DE UMA ELITE DESONESTA, CORRUPTA, ANTIPOPULAR E HISTÓRICAMENTE PERVERSA. NÃO PODEMOS ESTAR ALHEIOS OU DESACREDITADO DO ACESSO POPULAR AO PODER, NÃO PARA SE REFESTELAR COM OS CAPITALISTAS GANANCIOSOS E PESTILENTOS., MAS DE TAL MODO QUE EMPESTIARAM O PT E OS DEMAIS PARTIDOS DAS “BOQUINHAS”, NÉ jOSÈ DIRCEU? NÉ, JOSÉ GENUINO? NÉ LULA?,,,”ET CATERVA” !
    ASSINO, SIM ! Mas, a política emancipadora de um povo, já esta na rua. Históricamente cabe ao PARTIDO POLÍTICO – intelectual orgânico do proletariado e do povo trabalhador em geral -sinalizar a direção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s