O Livro

Um senhor, versado em livros, particularmente os de língua estrangeira, comete um erro primaríssimo, ao julgar que esse instrumento é o depositário único do conhecimento.
O livro é um meio, é uma mídia, e ele contempla as mais variadas opiniões, teses e enunciados. Nessa imensa variação, ele se presta a ser veículo do saber, da fantasia, da mentira, da mistificação, do engodo, do charlatanismo… Não sendo, portanto, o instrumento consagrado para nos fornecer o mais correto saber.

A verdade, seja ela histórica ou de outra natureza, está, antes de tudo, nos fatos. Lembre esse senhor, possuído do mais profundo fetiche pelos livros, que, antes de Galileu Galilei, todos os livros eruditamente produzidos, fossem em sânscrito, aramaico, hebraico, latim, grego, dizia, unanimemente, que a terra era fixa e o sol girava em torno dela. Isso, portanto, não devia ser discutido, afinal estava lá nos livros essa afirmação. Porém, a verdade estava nos fatos e esses fatos davam razão à tese de Galileu em dizer que a terra girava.

Também nos sacramentados livros da Santa Madre Igreja estavam expostos, como verdades indiscutíveis, uma lista de dogmas e contra esses dogmas se insurgiu Giordano Bruno e, por essa razão, mereceu ser atirado à fogueira da Santa Inquisição.

Charles Darwin também se insurgiu contra todos os livros escritos, fossem eles em inglês, francês, espanhol, português, alemão e tantas outras línguas modernas, quando afirmou que, ao contrário do que diziam os livrinhos, a existência do homem seria produto de um longo processo natural e não criação de Deus. Parece que livros não eram o forte de Charles Darwin.

Não evitando o pedantismo, a presunção, a arrogância e até a deselegância, o senhor Álvaro Bianchi voltou-se contra o subscritor deste texto, alegando que ele parecia não ser amante dos livros. Na verdade, parafraseando a Rosa Luxemburgo, não somos idólatras nem dos livros e, muito menos, das “verdades sagradas”, que não repouse nos fatos da vida real.
Numa exacerbada defesa de Leon Trotsky e do trotskismo, o nosso amigo Álvaro Bianchi posiciona-se como um verdadeiro beato, desconhecendo que a dúvida é o princípio do saber e que a convicção é mais grave do que a própria mentira.

Ao invés de cultuarmos “verdades sagradas”, deveríamos praticar o livre debate sem rédeas e sem censura; ou seja, deveríamos restabelecer o debate democrático despido de preconceitos e infundadas agressões. Cabe-nos, neste momento, formular uma pergunta que merece ser respondida: A imprensa democrática burguesa está aí, e onde estará a imprensa democrática proletária? Seria nas publicações dos grupos, movimentos e partidos trotskistas?

Ao invés do ensandecido furor dos beatos, é de bom alvitre que haja a reflexão e a discussão democrática e respeitosa.

Por: Gilvan Rocha, escritor, articulista, membro do COLETIVO Socialistas Livres e CAEP – Centro de Atividades e Estudos Políticos

Acessem nosso Blog: www.gilvanrocha.blogspot.com.br

Acessem nosso Blog:  www.socialistalivre.wordpress.com

cropped-u10013734_235352529999609_858194854_n1.jpg

Anúncios

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Galeria | Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s