30 DE AGOSTO – PARALISAÇÃO NACIONAL – PARTICIPEM

A classe trabalhadora e a juventude brasileira precisam se mobilizar mais uma vez no dia 30 de agosto e exigir seja dos patrões, seja dos governos de plantão, tanto na esfera municipal, estadual ou federal, que nossas reivindicações sejam atendidas.

As centrais sindicais do Brasil (CUT, Força Sindical, UGT, NCST, CTB, CSB, CGTB e CSP-Conlutas) estão convocando esse dia nacional de paralisação para cobrar a seguinte pauta comum:

MELHORIA DA QUALIDADE E DIMINUIÇÃO DO PREÇO DOS TRANSPORTES COLETIVOS: chega de desrespeito à população, mais ônibus e metrôs de qualidade.

10% DO PIB PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA: pagamento do piso nacional aos trabalhadores em educação, escola pública de qualidade para todos.

10% DO ORÇAMENTO PARA A SAÚDE PÚBLICA: saúde não é mercadoria, chega de filas e mortes nos hospitais públicos.

FIM DOS LEILÕES DAS RESERVAS DE PETRÓLEO: chega de privatização e entrega do patrimônio brasileiro.

FIM DO FATOR PREVIDENCIÁRIO E AUMENTO DO VALOR DAS APOSENTADORIAS: respeito e dignidade para quem construiu esse país.

REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO: trabalhar menos para ter qualidade de vida e tempo para a família.

CONTRA O PL 4330: chega de terceirização e precarização do trabalho.

REFORMA AGRÁRIA: terra para quem nela vive e trabalha.

SALÁRIO IGUAL PARA TRABALHO IGUAL: basta de discriminação da mulher no trabalho.

Para mudar os rumos do país em benefício dos trabalhadores, sua mobilização pode fazer a diferença. Contamos com você na construção desse importante dia de LUTA.

Por: Gílber Martins Duarte – Socialista Livre – Conselheiro do Sind-UTE / MG e diretor da subsede do Sind-UTE em Uberlândia – Professor da Rede Estadual de Minas Gerais – Doutorando em Análise do Discurso/UFU – Membro da CSP-CONLUTAS.

Anúncios

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

24 respostas para 30 DE AGOSTO – PARALISAÇÃO NACIONAL – PARTICIPEM

  1. Allyne Bisinotto disse:

    Brasileiro sobrevivi por teimosia.

    • 07 DE SETEMBRO VAMOS DAR O GRITO DE INDEPENDÊNCIA DO PT OU FICAR A PÁTRIA LIVRE OU MORRER PELO BRASIL.
      LEMBRAR, LEMBRAR E LEMBRAR; PRA JAMAIS ESQUECER: A ERA DA MEDIOCRIDADE E A INFINITA CORRUPÇÃO DO DES-governo DA FACÇÃO CRIMINOSA PT!!! QUANDO O SACANA Fidel Castro AINDA AGONIZAVA EM Cuba, A presidentA Dilma ERA UM “ENIGMA”; MAS, A CADA DIA, ESTE ENIGMA TEM SIDO DECIFRADO: JÁ NÃO DÁ MAIS PRA ela ESCONDER AS QUADRILHAS, AS MATILHAS ÀS QUAIS PERTENCE!!!
      A PeTralhada FECAL E COVARDE RETIROU O VÍDEO QUE AJUDEI A POSTAR, INTITULADO “O SISTEMA BRASILEIRO”; ONDE UM PATRIOTA FALA O QUE DEVE SER FALADO SOBRE O BOICOTE DO DES-governo BRASILEIRO SOBRE O MARKETING MULTI NÍVEL (MMN) , MAS QUE A HEDIONDA FACÇÃO CRIMINOSA PT NÃO QUER NO AR!!!

      DEFINITIVAMENTE, NÃO NOS CALAREMOS, FACÇÃO CRIMINOSA DE MERDA!!!!

      • Quanto ódio em suas palavras, Gladimir, isso faz mal ao fígado. Discordância política não precisa disso, desse excesso de palavras agressivas, é deselegante. Discordar com elegância é uma prova de sensibilidade socialista. Há que se aprender um pouco de generosidade com os socialistas livres, o que acha? E 30 de agosto, você está lutando do lado classe trabalhadora brasileira?

      • Uai! quem é meu mestre??? Quem tenta me doutrinar com o socialismo livre??? Quem começou com termos chulos “capitalismo de merda” e outras termos? Comecei a usar os mesmos termo para quem sabe ser compreendido. risos…. Mas isso se resume em uma única palavra INDIGNAÇÃO. Somente isso.

      • Não luto por segregação de especie alguma, feito você. Portanto minha luta é contra a corrupção, maus políticos, regimes totalitários.
        NÃO SE DEIXE ENGANAR.
        Nossa única chance de ir às Ruas é 7 de setembro!
        Qualquer outra data, vejo como manipulação dos grupos do governo para nos CALAR! JUNTOS SOMOS FORTES.

  2. O choque das linguagens é mais visível no choque de temporalidades: de um lado, temos a temporalidade (e as linguagens) das redes sociais, do fluxo das ideias na velocidade da luz; de outro, a temporalidade (e as convenções, os protocolos, os ritos processuais) do Estado, da política oficial. Um grupelho de estudantes da Universidade de São Paulo (USP) consegue convocar uma passeata gigante em três dias, enquanto a Presidência da República e o Congresso Nacional precisam de dois meses para avisar que não vai dar tempo de convocar aquele plebiscito que ninguém pediu e que só geraria efeitos para o ano que vem. Esse choque é – e será – mortal. O tempo da política oficial vem perdendo a compatibilidade com o tempo da vida social – e os efeitos desse descompasso apenas começaram.

    O relógio dos protestos não se acerta com o relógio do poder. A gramática das ruas não cabe nos dicionários dos palácios, dos partidos e das centrais sindicais. Sejam quais forem os conteúdos, vem desse desacerto o grande estrondo.

  3. É necessário manter-se vigilante e fazer autocrítica constantemente – jamais confundir crítica com ofensa, ressentimento, inveja e outros vícios. Para tanto é fundamental maturidade e equilíbrio emocional, bem como humildade, tendo sempre em mente o que aprendemos no livro de Eclesiastes: tudo é vaidade.

    O PT, desde a sua fundação até assumir o poder em 2003, foi um belo exemplo de crítica partidária e política no país. Até então, um partido disciplinado e coerente. Com a subida ao poder, esta disciplina e coerência foram para o espaço. E, para piorar, a crítica também perdeu em qualidade e efetividade, foi se atrofiando. Os sindicatos mais combativos historicamente ligados ao PT se converteram numa espécie de ONGs palacianas. Muitos intelectuais ligados ao partido passaram a sofrer de um relativismo crônico. O que era inaceitável nos governos do PSDB, de repente, nos governos petistas podia. O subterfúgio recorrente (e também odioso) é a tal “governabilidade”.
    o recuo de atuação crítica dos sindicatos. Isso é muito preocupante. Vale lembrar que sindicatos recebem milhões e milhões em verbas públicas. Então, espera-se que a sua atuação seja também pública e não, como ocorre na prática, partidária. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação vive promovendo o ministro Aloísio Mercadante em sua página, como também em eventos, mas “esquece” que ele não os recebeu durante as greves do ano passado e faz uma péssima gestão no MEC. Uma vez perguntei nos comentários da página no Facebook qual era a deles? E me pergunto: é lícito um órgão que receba o nosso dinheiro para fiscalizar o ministério, ao invés disso promova o seu chefe?

    Outro exemplo absurdo, que mais uma vez comprova a atualidade de Sério Buarque de Holanda, foi a Central Única dos Trabalhadores a CUT, além de sua página, disponibilizar a sua estrutura para ato em defesa de José Dirceu. Inaceitável! A propósito, mesmo admitindo a má vontade e parcialidade da grande imprensa tradicional com o episódio do chamado “mensalão”, é possível concluir que não houve nada? Parlamentares foram cassados, estão sendo processados e mesmo assim insistem que são vítimas? Urge revermos este modelo de sindicalismo e também de movimentos sociais. Líderes como João Pedro Stédile dando entrevistas para publicações que lhe são simpáticas dizendo obviedades e bobagens. Que precisamos disso e daquilo. Ora, se quer opinar, analisar a conjuntura social e política do país, sai do movimento e vá para a universidade. Movimentos sociais são lugares de ação e não de especulações pseudo-filosóficas.
    A escola é um espaço privilegiado para o despertar do senso crítico, mas infelizmente vem falhando. Com uma estrutura arcaica, machista e desinteressante, vem desestimulando cada vez mais a criatividade e o espírito crítico. Seja por professores desmotivados e despreparados, seja pela própria estrutura das escolas que impede isso. Tem professor que ainda dá questionário para aluno decorar, tem outros, mais dá minha área que ao invés de aulas dão conferências para crianças e adolescentes, ou dizem que são portadores da verdade, que o capitalismo é o demônio e eles alunos são alienados. Alguns das ciências exatas não admitem e muito menos respondem quando o aluno questiona para que estudar aquilo. Fora os interesses escusos.
    Portanto esse movimento é financiado pelo nosso dinheiro via PT.

    • A- L- E- R- T- A- – – – – – – – – – – – – – – – –
      Se censurarem a internet, não se preocupem; saia pra rua dia 7…não fique em casa!
      NÃO SE DEIXE ENGANAR.
      Nossa única chance de ir às Ruas é 7 de setembro!
      Qualquer outra data, vejo como manipulação dos grupos do governo para nos CALAR!…

      • Calar? Manipulação? Vivemos em um país democrático e a luta do dia 30 de agosto é uma legítima luta convocada pelas organizações da classe trabalhadora brasileira. Você é contra a liberdade da luta sindical, Gladimir? Por que você desqualifica a luta sindical brasileira? Viva a democracia e a liberdade de luta política.

  4. Só um exemplo, a Central Única dos Trabalhadores a CUT, além de sua página, disponibilizar a sua estrutura para ato em defesa de José Dirceu. Inaceitável! A propósito, mesmo admitindo a má vontade e parcialidade da grande imprensa tradicional com o episódio do chamado “mensalão”, é possível concluir que não houve nada? Parlamentares foram cassados, estão sendo processados e mesmo assim insistem que são vítimas? Urge revermos este modelo de sindicalismo e também de movimentos sociais. A grande maioria dos sindicatos são pelegos, pró PT. Seu o problema e de muitos autores de inspiração marxista, trazem em suas análises esta mentalidade, que, repito é mais da época e do que do autor, e querem encaixar na nossa atual. Marx, não podia ir além de sua época, era um estudioso e não mágico. Marxistas notáveis, como Theodor Adornoe Max Horkheimer, expoentes da barulhenta Escola de Frankfurt e da Teoria Crítica, afirmaram que nem tudo na obra de Marx era pertinente. Curioso é que escreveram menos de cinquenta anos depois da morte do autor de O Capital. Atentos, perceberam que alguns aspectos estavam ultrapassados. Entretanto (e esta é a lição que nossos marxistas contemporâneos deveriam aprender) um aspecto era imutável em Karl Marx: a capacidade da crítica. O Capital uma obra de difícil leitura, ainda que suas categorias não tenha a ambiguidade especulativa própria da obra de Hegel, no entanto, uma linguagem pouco atraente e nem um pouco fácil. Motivo que você não entendeu nada de Socialismo. Cabe lembrar que O Capital é uma obra incompleta, tendo sido publicado apenas o primeiro volume com Marx vivo. Os demais volumes foram organizados por Engels e publicados posteriormente. Portanto a dita luta dos sindicatos é manipulação do PT. A minha hipótese é que os desatinos que observamos no governo liderado pelo PT são resultantes em grande medida desta renúncia à crítica. E isso além de trazer as consequências negativas que assistimos atônitos todos os dias, ameaça conquistas importantes.

    • Não compactuo com a política pró-capitalista do PT, Gladimir. Também não compactuo com a política capitalista da velha direita, PSDB, PMDB, DEM, etc. Nas próximas eleições vou apoiar os partidos legalizados da esquerda socialista: PSOL, PSTU, PCO, PCB. E você? Vai votar na esquerda que luta para mudar o mundo ou vai trocar seis por meia dúzia, votando em uma legenda de direita? Por fora das eleições, vamos seguir lutando pela pauta dos trabalhadores, como a pauta divulgada nesse post. Pelo visto você acha que a classe trabalhadora deve continuar sem avançar nos direitos, não é isso? Eis nossa diferença política.

      • Não voto em partidos, voto em homens. Os que estão despontando como favoritos pouco me agradam, deixe chegar a eleições, só espero não ter que optar pelo menos ruim. E a bendita reforma política que não chega nunca. Repito: Portanto a dita luta dos sindicatos é manipulação do PT. Vale lembrar que sindicatos recebem milhões e milhões em verbas públicas. Então, espera-se que a sua atuação seja também pública e não, como ocorre na prática, partidária. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação vive promovendo o ministro Aloísio Mercadante em sua página, como também em eventos, mas “esquece” que ele não os recebeu durante as greves do ano passado e faz uma péssima gestão no MEC. Uma vez perguntei nos comentários da página no Facebook qual era a deles? E me pergunto: é lícito um órgão que receba o nosso dinheiro para fiscalizar o ministério, ao invés disso promova o seu chefe? A minha hipótese é que os desatinos que observamos no governo liderado pelo PT são resultantes em grande medida desta renúncia à crítica. E isso além de trazer as consequências negativas que assistimos atônitos todos os dias, ameaça conquistas importantes, que vamos defender no dia 7 de setembro, direitos principalmente dos trabalhadores (saúde e educação, porque o dito “burgues” não tem problemas com isso né professor, portanto é uma luta pelos trabalhadores, aposentados… ) Não luto por segregação de especie alguma, feito você. Portanto minha luta é contra a corrupção, maus políticos, regimes totalitários.
        NÃO SE DEIXE ENGANAR.
        Nossa única chance de ir às Ruas é 7 de setembro!
        Qualquer outra data, vejo como manipulação dos grupos do governo para nos CALAR! JUNTOS SOMOS FORTES.

      • Gladimir, você parece ser contra a mobilização dos sindicatos convocada para o dia 30 de agosto. Então, quem é o segregacionista aqui, hein? Você é contra a pauta dos trabalhadores? Pois esta pauta vai ser levantada no dia 30 de agosto e também no dia 07 de setembro, no grito dos excluídos.

    • #SINDICATOS SÃO LIGADOS AO PT, PARTIDO MAIS CORRUPTO DA HISTÓRIA DO PAIS
      * NÓS SOMOS IMBECIS OU IDIOTA GÍLBER? CHEGA DE MENTIRAS.
      QUEM ACREDITAR NESTAS HISTÓRIAS AVISE-NOS. SE FOR ALMA DO OUTRO MUNDO O TELEFONE É: CÉU – 000000000
      A CUT perdeu quase que completamente suas bases, mas fortaleceu-se enquanto cúpula, e praticamente toda a sua direção foi para o aparelho do Estado nos últimos 10 anos. A CUT é a entidade que mais recebe o dinheiro repartido pelo governo. A central aceitou receber o dinheiro em 2008, quando Lula criou lei permitindo o repasse às centrais, e nos últimos cinco anos, a central abocanhou mais de R$ 270 milhões. (Um bom cala boca) Lula é fruto da luta da CUT, da construção do PT, e ele é o maior exemplo do sindicalismo cutista. Não foi um presidente convencional, como Dilma também não é. Os sindicatos dirigidos pelos pelegos, na sua maioria, permanecem com
      poucos filiados e, mesmo estes, muitas vezes estão mais interessados em
      assistência social ou serviços (médico, dentista, advogado, colônia de férias etc.) do
      que em um órgão coordenador de interesses de classe, capaz de exercer pressão.
      social. Existem ainda os diretores sindicais que se utilizam de recursos [como]
      imprensa, ida a porta de fábrica etc. para manter a classe amorfa, infundindo
      concepções burguesas e a não participação na luta.
      O pelego tende a agarrar-se ao poder com unhas e dentes. Chega a aliar-se à
      repressão, a tornar-se dedo-duro, a fraudar eleições, a trair miseravelmente sua
      classe.
      Encontram-se nessa situação, ainda, um enorme número de dirigentes
      sindicais brasileiros, seja na maioria dos pequenos sindicatos de cidades e
      categorias pequenas, seja em grande parte dos sindicatos maiores.Os sindicalistas
      combativos, além de não serem muito numerosos, são muitas vezes perseguidos,
      cassados, processados e até assassinados, como tem ocorrido em certas áreas
      rurais.
      é muito importante para entendermos como esse grande mal genocida, nefasto, chamado Marxismo (Socialismo-Comunismo), avança ideologicamente sobre as nações. Observem as ciladas marxistas que vem sendo implantadas no Brasil a anos, pois elas não visam atingir os males brasileiros pela raiz, é exatamente o contrário, eles visam fomentá-los para dividir a nossa sociedade em classes, partindo das minorias.

      “Dividir para conquistar”, é o lema que Karl Marx os ensinou para que consigam levar uma sociedade com princípios democráticos republicanos, para o comunismo, por isso com dados comprovados, o socialismo é exatamente o meio desta travessia, de um ponto ao outro, da democracia ao comunismo (E nós brasileiros estamos vivendo dentro de uma sociedade socialista, cheia de confusão, de crises, de choques entre grupos e certamente se nada for feito, chegaremos a uma guerra civil, e é nesse ponto, que tudo estará preparado para a chamada revolução comunista, pois até para se promover uma anarquia, ela precisa ser arquitetada, e os vermelhos do Brasil estão conduzindo todos como gado para a chamada revolução vermelha-comunista).

      Os marxistas da antiga URSS (União das repúblicas SOCIALISTAS Soviéticas), ou simplesmente União Soviética, usavam o seu capital orçamentário para avançar ideologicamente sobre outras nações. Segundo Tomas Schuman Yuri Bezmenov, desertor na época, da hoje extinta KGB, o orçamento era divido da seguinte maneira.

      15% – Do tempo, capital e recursos humanos eram com serviço de espionagem.

      O restante do orçamento era gasto com uma guerra psicológica, conhecida como “guerra fria”, era uma guerra de nervos, de ideologia.

      85% – Era com processo muito processo lento, porém muito eficaz, que fomentava uma subversão ideológica ou medidas ativas (Linguagem da KGB) no país alvo, financiando uma guerra psicológica, que promovia uma espécie de lavagem cerebral, para que dessa forma as pessoas não acreditassem mais nos princípios norteadores de sua nação, mas sim nas ideias de seu subversor. E é dividido em 4 etapas, levando em torno de uns 20 anos para ser instalado, pois é o tempo calculado que se leva para se formar uma nova geração. Entretanto, irei apenas me a ter ao processo de corrupção dos valores republicanos de uma Sociedade, para o Comunismo.

      1° Fase — DESMORALIZAÇÃO
      Esta etapa leva de 15 a 20 anos, pois é o tempo que se leva para corromper moralmente uma sociedade. Por que esse é o tempo necessário para se educar uma geração de estudantes no país de seu inimigo, em outras palavras, a ideologia marxista-leninista vai sendo injetada nas cabeças moldáveis de pelo menos 3 gerações de estudantes. E resultado disto, é que esses estudantes, semi-intelectuais vão ocupando espaço no poder, no governo, no serviço público, nas empresas, na grande mídia e no sistema educacional, e não podemos fazer nada, não podemos mudar suas ideias, mesmo os expondo a informações autenticas, provando que “claro é claro e escuro é escuro, ainda assim não conseguiremos, pois é uma geração infectada com a ideologia vermelha, que esta programada a pensar e a reagir a certos estímulos. Nesse caso o processo de desmoralização é irreversível. E para nos livrar dessa patota comunista, é necessário o mesmo número de tempo, de mais 15 ou 20 anos, para educar uma nova geração com bom senso, padrões morais e patriotismo.

      O BRASIL ESTÁ SOFRENDO DESSE MAL, A ATUAL GERAÇÃO QUE CONTROLA OS PRINCIPAIS SETORES SENSÍVEIS DA SOCIEDADE, ESTÁ TODA CORROMPIDA POR ESSA IDEOLOGIA MARXISTA, SOCIALISTA, QUE NOS LEVA AO CHOQUE DE CLASSES, A DESUNIÃO, A CORRUPÇÃO DOS NOSSOS PRINCÍPIOS NORTEADORES COMO NAÇÃO.

      QUER ENGANAR QUEM? DEIXA DE ATACAR O PSDB, CHAMANDO QUE É DE DIREITA, FHC É COMUNISTA/SOCIALISTA, PORTANTO PT, PMDB, PSOL, PSTU E PSDB FORAM PARIDOS POR MARX. VEJA O VÍDEO:

      • Convidamos as pessoas, nesse post, para participar de uma mobilização dia 30 de agosto e você nos chama de mentiroso, Gladimir? Por que você fica lendo essas mentiras então? Isso é uma grande deselegância política sua!

  5. Não sou contra O TRABALHADOR, sendo passeata sem violência apoio todas, SOU CONTRA A MENTIRA. Os sindicatos, não chegam nem perto do que eram, eles apoiam sim o PT, sou contra o partido mais corrupto da história desse pais, jamais contra os trabalhadores. Dia 07 de setembro é o grito de “todos”, contra a roubalheira generalizada. Se os sindicalistas vierem sem partidos, serão bem vindos. Você vem cheio de artimanhas, evidentemente para enganar os seus leitores, pois sabe que não me engana. Fala que o socialismo é livre e blá, blá, blá…. Mas os comentários são privados no seu facebook, com postagem políticas e ideológicas . Se você acredita mesmo, deixe ele aberto ao público, para lá também discutir opiniões. A propósito mande um beijão a sua linda irmã Gis. Família é tudo de bom. Viva a família, enquanto os marxistas não tomarem o poder……risos
    Dia 07 de setembro o grito é de todas as classe, contra a maior roubalheiras de um Partido de todos os tempos. QUEM VOCÊ QUER ENGANAR CARA PÁLIDA??? VOCÊ QUER OMITIR A HISTÓRIA?
    Trabalhadores que estão sendo manipulados vejam A ORIGEM do Partido dos Trabalhadores (PT):

    Composto por dirigentes SINDICAIS, intelectuais de esquerda COMUNISTA/SOCIALISTA e católicos ligados à Teologia da Libertação(Socialista), no dia 10 de fevereiro de 1980 no Colégio Sion em São Paulo. O partido é fruto da aproximação dos movimentos sindicais, a exemplo da Conferência das Classes Trabalhadoras (CONCLAT) que veio a ser o embrião da Central Única dos Trabalhadores (CUT), grupo ao qual pertenceu o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, com antigos setores da esquerda brasileira.
    O PT foi fundado com um viés SOCIALISTA. Com o golpe de 1964, a espinha dorsal do sindicalismo brasileiro, que era o CGT (Comando Geral dos Trabalhadores), reunia lideranças sindicais tuteladas pelo Ministério do Trabalho- um ministério geralmente ocupado por lideranças do Partido Trabalhista Brasileiro varguista – foi dissolvida, enquanto os sindicatos oficiais sofriam intervenção governamental. A ressurgência de um movimento trabalhista organizado, expressa nas greves do ABC paulista da década de 1970, colocava a possibilidade de uma reorganização do movimento trabalhista de forma livre da tutela do Estado, projeto este expresso na criação da CONCLAT, que viria a ser o embrião da CUT, fundada três anos após o surgimento do PT. Originalmente, este novo movimento trabalhista buscava fazer política exclusivamente na esfera sindical. No entanto, a sobrevivência de um sindicalismo tutelado – expressa na reconstrução, na mesma época do antigo CGT, agora com o nome de Confederação Geral dos Trabalhadores, congregando lideranças sindicais mais conservadoras, como as de Joaquinzão e de Luís Antônio de Medeiros – mais a influência ainda exercida sobre o movimento sindical por lideranças de partidos de Esquerda tradicionais, como o Partido Comunista Brasileiro, forçaram o movimento sindical do ABC, estimulado por lideranças antistalinistas da Esquerda, como a de diversos grupamentos trotskistas, a adquirir identidade própria pela constituição em partido político – uma estratégia similar à realizada pelo movimento sindical Solidarność na Polônia comunista de então.
    O PT surgiu, assim, rejeitando tanto as tradicionais lideranças do sindicalismo oficial, como também procurando colocar em prática uma nova forma de socialismo democrático,18 tentando recusar modelos já então em decadência, como o soviético ou o chinês. Significou a confluência do sindicalismo basista da época com a intelectualidade de Esquerda antistalinista.
    Foi oficialmente reconhecido como partido político pelo Tribunal Superior de Justiça Eleitoral no dia 11 de fevereiro de 1982. A ficha de filiação número um foi assinada por Apolonio de Carvalho, seguido pelo crítico de arte Mário Pedrosa, pelo crítico literário Antonio Candido e pelo historiador e jornalista Sérgio Buarque de Hollanda., AMBOS SOCIALISTAS.
    QUEM VOCÊ QUER ENGANAR, OU VOCÊ TAMBÉM ESTA SENDO ENGANADO, POR ACREDITAR QUE OS DIRIGENTES DOS SINDICATOS, NÃO SÃO DO PT. Infelizmente esses lesa pátria nos usaram. Como trabalhador assalariado me sinto enganado e lesado por esse bando que teve inicio na base socialista e o que fizeram, roubaram o que é mais sagrado ao povo simples, a educação e saúde.
    Chega de mentiras. Livre? Começa pelo seu facebook, assembléia fechadas etc…..
    Dia 7 de setembro é a marcha contra a corrupção.
    VEJA AS ORIGENS DO PT DITA PELO PRÓPRIO LULA. VOCÊ TAMBÉM VAI NEGAR ISSO:

    • Gladimir, você fala o que quer aqui no BLOG, ataca toda a classe trabalhadora organizada, seja em partidos, seja em sindicatos, se acha o dono absoluto da verdade, e nunca censuramos um comentário seu aqui no Blog, por mais desfocado que seja das questões aqui discutidas, e você acha que ainda tem o direito de reger minha vida privada no Facebook. Quanto totalitarismo em Gladimir? E você tem essa discussão de criticar regimes totalitários: QUANTA CONTRADIÇÃO! Quem é o defensor de totalitarismo aqui, Gladimir?

      Quanta ao discurso de que as pessoas não podem ter partido, isso é outro totalitarismo seu! Que visão mais ditatorial do mundo. O mundo só pode ter um partido, não é Gladimir? O seu partido, e pelo visto seu partido é o partido que proíbe os partidos. Proíbe os partidos para ficar unicamente o seu. Isso é ditadura. Partido único é ditadura, Gladimir. Ninguém pode discordar de ninguém, ninguém pode ter partido. Você é totalmente contraditório, Gladimir, e ainda fica criticando os socialistas livres marxistas. Olhe dentro de si mesmo! Coerência é uma questão de ombridade. Prezo sempre pela ombridade.

      • Jamais tive a pretensão de agradar todo o mundo, penso e ajo de acordo com minha consciência. Jamais disse que sou o dono da verdade, nem Jesus agradou todo mundo, quem sou eu para querer isso. Ao contrário de você quem escreveu siga o meu “EXEMPLO” Isso é ou não é Narcisismo? Simplesmente quis negar que os dirigentes dos sindicatos tem ligações com o PT, eu só quis mostrar que os sindicatos só tem pelegos, e que foi o embrião do PT. Você fala em liberdade de crítica, só citei o seu facebook, que só tem comentários ideológicos e políticos mas os comentários são bloqueados, evidentemente que você tem todo o direito de fazer isso, como eu também mantenho os comentários bloqueados a desconhecidos, quis dizer que você não é diferente, como se julga é um ser humano cheio de defeitos como eu. Tenho muita dificuldade de escrever, motivo pelo qual você não entende nada, como nada entende de socialismo. Não existe democracia sem partidos, você e os políticos não entenderam nada do recado das ruas, o que existe hoje é um só partido o da corrupção socialista, pois todos eles são aliados ao PT direta ou indiretamente o resto é figuração. O que você fala que é direita, esta longe de ser direita. Você deixa claro que esta de saco cheio comigo, e deu um tiro no pé de deixar falar aquilo que quero, pois isso esta longe de um Marxista. De uma forma delicada, que de fato não é, você pede para parar com meus comentários, pois é só você que tem o direito, pois o blog é seu. Ao contrário de você, eu consigo entender nas entre-linhas. Vou deixar você em paz.

      • Gladimir, o diálogo político se faz com franqueza e verdade, mantendo as diferenças, podendo até ser duro, se achar que deve, mas jamais sem perder a ternura, jamais sem perder o respeito, porque sem respeito mútuo não construiremos uma humanidade melhor. Todos temos de aprender isso, mesmo que cometamos nossos deslizes. Manter diferenças políticas é sadio, mas, sinceramente, ataques verbais como dizer que o outro “mente”, quando apenas tem opinião diferente, que o outro é um agente do mal, quando o outro tem outra perspectiva de encarar a vida social-econômica, etc…, isso é um preconceito, não posso concordar com isso. Eu posso julgar por mim, tem várias diferenças político-partidárias no mundo, várias diferenças sindicais, e é necessário criticar as contradições, no sentido de fazer o mundo avançar para melhor. Eu entendi que você odeia o socialismo, mas o socialismo livre que defendemos é diferente do estalinismo que você tanto abomina e eu também abomino o estalinismo. Isso aí de estalinismo não é socialismo. Mas você coloca todo mundo no mesmo saco de gatos e vê os marxistas como inimigos da humanidade. Você está enganado, Gladimir. Tem muita gente que se deixou corromper, mas existem muitíssimos socialistas e marxistas honestos dentre os quais eu me incluo. Não me considero o mal da humanidade, ao contrário, as sementes que semeio são responsáveis e claras. Tomo posição pela classe trabalhadora, porque é a única que não vive da exploração do trabalho alheio. A burguesia não é uma classe do mal, a burguesia é uma classe social atrasada que paralisa as possibilidades de um mundo mais fraterno, mais generoso, mais justo. Não pratico as práticas da burguesia e não as legitimo, porque não exploro e não oprimo ninguém. Vivo do meu trabalho e não do trabalho alheio. E sou feliz vivendo honestamente do meu trabalho. Tenho orgulho disso. Não me atrai o dinheiro da burguesia, porque é dinheiro sujo, mesmo que considerado dentro da lei deles, porque a lei é burguesa. Um mundo sem classes sociais, que defendo, não quer dizer um mundo de pobres e miseráveis, ao contrário, é uma sociedade em que todos possam desfrutar do que há de melhor. Talvez você não esteja interessado de fato em compreender nossas propostas, em discuti-las… é uma pena… você parece mais interessado em atacar todo esquerdista ou marxista como um patológico e um doente… sinceramente não preciso de tratamento… milito por um mundo melhor… e acho que tenho a contribuir nesse intervalo que tenho entre a vida e a morte… é uma pena que você não tem sensibilidade para discutir com franqueza nossas concepções… você ficou muito irritado quando te pedi para ser sensível ao meu exemplo, em relação à liberdade de expressão permitida nesse blog, aqui não tem censura e nunca vai ter, mas vou repetir o mesmo, para você não esquecer: divirja, mas nunca silencie seus oponentes, mesmo os que lhe parecerem os mais sórdidos, é nessa sensibilidade e nesse permitir a existência do diferente que reside a verdadeira mudança… Isso é socialismo livre… você nunca vai encontrar em lugar nenhum a filosofia socialista livre… a maioria dos socialismos são autoritários como a burguesia o é… vivemos a cultura milenar da intolerância ao diferente… o Socialismo Livre é duro contra a liberdade de oprimir e é duro contra a liberdade de explorar de quem quer que seja, seja a burguesia capitalista, seja o capitalismo de estado do Estado Chinês, mas jamais silenciaremos ou tolheremos a liberdade de expressão de quem quer que seja ou assassinaremos nossos críticos… É essa elegância política e respeitosa que eu te solicito, mesmo mantendo a divergência… do contrário, não construiremos um mundo melhor… mesmo em seu meio, onde você pratica a política, leve essa mensagem do socialismo livre: LIBERDADE DE EXPRESSÃO E LIBERDADE DE CRÍTICA SEMPRE. CENSURA JAMAIS. DITADURA JAMAIS. ASSASSINATO POLÍTICO DE QUEM PENSA DIFERENTE JAMAIS. QUE AS MINORIAS RESPEITEM A DECISÃO DA MAIORIA, E QUE SEJAM GARANTIDAS LIBERDADES DEMOCRÁTICAS TODOS, MAS QUE AS MINORIAS NUNCA SEJAM IMPEDIDAS DE DIZER E EXPRESSAR O QUE PENSAM. É POR AÍ. Saúde!

      • Realmente não li Marx,risos….
        Marx é um mestre do plágio: “De Marat, se apropria da frase ‘o proletariado não tem nada a perder, exceto os grilhões’. De Heine, ‘a religião é o ópio do povo’; e de Louis Blanc, via Enfantin, sacou a fórmula ‘de cada um segundo suas capacidades, a cada um segundo suas necessidades’. De Shapper, tirou a convocação ‘trabalhadores de todo o mundo, uni-vos’, e de Blanqui, a expressão ‘ditadura do proletariado’. Até mesmo sua obra mais bem acabada e de efeito vertiginoso, ‘O Manifesto Comunista’ (1848, em parceria com Engels), tem-se, entre os anarquistas, como plágio vergonhoso do ‘Manifesto da Democracia’, de Victor Considérant, escrito cinco anos antes.

        Penso Quanto menor a atuação do governo, menor a burocracia e maior será liberdade de livre iniciativa e a prosperidade.

        O socialista vem se esforçando para não lidar com o simples fato de que a maldade existe — que algumas pessoas simplesmente optam por fazer coisas que elas sabem de antemão serem erradas. Todo o tipo de desculpa, desde pobreza até adolescência infeliz, é utilizada pelos socialistas para explicar, justificar e isentar a maldade (feito seu quatro assaltos).
        Todas as pessoas que saíram da pobreza ou que tiveram uma infância infeliz feito eu, ou ambas, e que se tornaram seres humanos decentes e produtivos, sem jamais praticarem atos violentos, são ignoradas pelo socialista, que também ignora o fato de que a maldade independe da renda e das origens, uma vez que ela também é cometida por gente criada na riqueza e no privilégio, como reis, conquistadores e escravocratas.

        O Comunismo/Socialismo não é a fraternidade: é a invasão do ódio entre as classes (exaustivamente colocado por você: “burgues x trabalhador”) . Não é a reconciliação dos homens: é a sua exterminação mútua.

  6. Que teoria linda, ou seria utopia! Se realmente é isso pelo qual você realmente luta, merece todo meu respeito e amabilidade. Simplesmente quis mostrar o que realmente é os sindicatos que você declarou apoio. Que recebe quantias astronômicas dos ditos ‘burgueses’, e principalmente cobra um absurdo dos associados trabalhadores que você na teoria defende, mas na pratica você esta colaborando com os dirigentes pelegos, que na última manifestação pagaram R$ 50,00 mais lanches, exaustivamente noticiado e comprovado. O que você escreveu acima, também é o mundo que quero. Mas como??? Sendo você Marxista como poderei acreditar??? Você com o texto acima acabou colocando por terra a sua teoria, por favor leia o que escrevi a respeito dos sindicatos e de seus pelegos dirigentes. Não tem como separar eles do PT. O trabalhador tem que reivindicar sim seus direitos. Como militar sem direito a greves sei o que isso significa, sofremos um revanchismo dos socialistas por mais de 22 anos. Sou radicalmente contra aos oportunistas que usam a maioria dos trabalhadores alienados (infelizmente é esse o termo e dolorido para me referir a esses irmãos explorados, porque também sou trabalhador assalariado) que manifestam apenas pelo prazer de segurar um cartaz e gritar refrões bacanas e há espertalhões dos sindicatos e Partidos a maioria socialista feito o PT que utilizam estes trabalhadores para aumentar o coro em prol de suas reivindicações.
    Repito, já li o Capital, como Hitler e milhões de pessoas. A inspiração marxista, trazem em suas análises esta mentalidade, que, repito é mais da época e do que do autor, e querem encaixar na nossa atual. Marx, não podia ir além de sua época, era um estudioso e não mágico. Marxistas notáveis, como Theodor Adornoe Max Horkheimer, expoentes da barulhenta Escola de Frankfurt e da Teoria Crítica, afirmaram que nem tudo na obra de Marx era pertinente. Curioso é que escreveram menos de cinquenta anos depois da morte do autor de O Capital. Atentos, perceberam que alguns aspectos estavam ultrapassados. Entretanto (e esta é a lição que nossos marxistas contemporâneos deveriam aprender) um aspecto era imutável em Karl Marx: a capacidade da crítica. O Capital uma obra de difícil leitura, ainda que suas categorias não tenha a ambiguidade especulativa própria da obra de Hegel, no entanto, uma linguagem pouco atraente e nem um pouco fácil. Motivo que você não entendeu nada de Socialismo. Cabe lembrar que O Capital é uma obra incompleta, tendo sido publicado apenas o primeiro volume com Marx vivo. Os demais volumes foram organizados por Engels e publicados posteriormente. É por isso que é difícil, acreditar na sua docilidade. Evidentemente, que você é do bem, sim. Mas não entendeu nada sobre o Marxismo. Porque marxismo é totalmente oposto a isso. Como implantar socialismo, com vários partidos, de direita, centro e esquerda. Como? Portanto regimes de uma só ideologia, é ditadura sim.

  7. Socialistas Livres, progressistas e toda a esquerda em geral acreditam firmemente, e erroneamente, que sindicatos são capazes de aprimorar o padrão de vida dos assalariados de todo o sistema econômico. E acreditam que eles conseguem fazer isso por meio da imposição de aumentos salariais ou de reduções na jornada de trabalho sem concomitantes reduções salariais. Ao pensarem assim, esses grupos ideológicos cometem a falácia de pressupor que, dado que ganhar mais dinheiro é obviamente um objetivo inteligente para um assalariado buscar, então se todos os assalariados conjuntamente reivindicarem o mesmo para si, tal imposição será igualmente benéfica para todos conjuntamente.
    Os proponentes destas ideias se mostram totalmente ignorantes do fato de que aumentos salariais impostos por sindicatos reduzem a quantidade de mão-de-obra demandada e consequentemente geram desemprego tanto para os não-sindicalizados quanto para aqueles trabalhadores cuja habilidade e produtividade geram menos valor do que o novo piso salarial imposto. Mais ainda: menor emprego significa menor produção, e menor produção significa menor oferta de bens e serviços, o que significa preços mais altos. Para coroar tudo, haverá um aumento nos gastos sociais para se conceder benefícios aos desempregados, o que pode levar a um aumento futuro da carga tributária.

    A única maneira de se aumentar os salários sem que isso gere um aumento no desemprego é aumentando a quantidade de dinheiro na economia, o que consequentemente tende a elevar o volume de gastos em todo o sistema econômico. Porém, tal fenômeno, também levará a um aumento nos preços, e consequentemente não irá aprimorar o padrão de vida dos assalariados.

    Expressando estes pontos na tradicional terminologia de oferta e demanda, a única maneira de os salários nominais subirem é havendo uma menor oferta de mão-de-obra — o que significa menos pessoas empregadas — ou havendo mais demanda por mão-de-obra, o que também significa que está havendo uma maior demanda por bens de consumo e, consequentemente, que os preços dos bens de consumo estão mais altos. Logo, por mais surpreendente que isso possa parecer, podemos concluir que salários maiores — sejam eles obtidos por meio de uma menor oferta de mão-de-obra ou por uma maior demanda por mão-de-obra decorrente de um aumento da quantidade de dinheiro na economia — simplesmente não podem aumentar o padrão de vida do assalariado médio.

    Temos de concluir, portanto, que se realmente desejam aumentar o padrão de vida do assalariado médio, os sindicatos estão completamente equivocados em ter como objetivo exigir aumentos salariais. No entanto, este é exatamente o seu supremo objetivo, não havendo nenhum outro objetivo comparável à grandiosidade deste.

    Sim, é possível haver um aumento na demanda por mão-de-obra que leve a aumentos salariais e que, ao mesmo tempo, não gere aumento na demanda por bens de consumo e nem aumento de preços. Mas isso só poderia ocorrer caso fosse resultado de um aumento na poupança. E o que permitiria isso seria uma grande redução nos gastos do governo feita em simultâneo a uma equivalente redução de impostos, dentre eles o imposto de renda de pessoa jurídica, o imposto de renda de pessoa física, o imposto sobre ganhos de capital e todos os outros impostos que incidem sobre a receita e o lucro das empresas. Dado que impostos são pagos com fundos que poderiam ser poupados e utilizados em investimento, tal redução de impostos permitirá que tais fundos sejam agora efetivamente poupados e investidos. Essa poupança adicional poderia, consequentemente, ser em grande parte utilizada para pagar os aumentos salariais.

    Por conseguinte, os assalariados poderiam aumentar correspondentemente seus gastos em consumo. E isso não representaria um aumento geral do gasto em consumo porque estaria sendo financiado por uma equivalente — aliás, mais do que equivalente — redução nos gastos do governo. Ou seja, o governo reduziu seus gastos para que os trabalhadores pudessem aumentar os próprios. Assim, embora os salários dos trabalhadores tenham aumentado, não houve nada que tornasse possível a elevação generalizada dos preços.

    No entanto, desnecessário dizer que tais reduções de impostos são um anátema absoluto para os sindicatos e seus defensores.

    Nunca é demais ressaltar que o que de fato aumenta o padrão de vida dos assalariados é o aumento na produtividade da mão-de-obra — isto é, um aumento na quantidade de bens produzidos por unidade de mão-de-obra. Este aumento de produtividade serve para aumentar a oferta de bens em relação à quantidade de mão-de-obra disponível. E tal aumento na oferta de bens em relação à mão-de-obra leva a uma redução dos preços dos bens em relação aos salários pagos. Caso a quantidade de dinheiro na economia fosse constante ou aumentasse muito pouco, os preços cairiam ao mesmo tempo em que os salários permaneceriam inalterados. Havendo um aumento mais substancial da quantidade de dinheiro na economia, seria possível que os preços permanecessem inalterados ao mesmo tempo em que os salários subissem. Seria possível também que tanto preços e salários aumentassem, mas com os preços subindo menos que os salários. A questão é que, se estiver havendo um aumento contínuo da produtividade, de modo que a quantidade de bens esteja sempre aumentando em relação à quantidade de mão-de-obra disponível, estará havendo um aumento no padrão de vida dos assalariados.

    É essencial entender que a base para um aumento da produtividade da mão-de-obra está na quantidade de investimento feito na produção de bens de capital. E investimentos em bens de capital são estimulados por reduções nos gastos do governo acompanhadas por uma equivalente redução naqueles impostos que são pagos com fundos que, uma vez liberados deste encargo, poderão ser substancialmente poupados e investidos em bens de capital.

    O problema é que os sindicatos e seus defensores ideológicos são totalmente alheios a estes fatos econômicos. Acima de tudo, eles são ignorantes quanto ao fato de que o padrão de vida dos assalariados não advém necessariamente de um aumento salarial mas sim de uma queda de preços dos bens de consumo e dos serviços. Como explicado acima, a queda nos preços não precisa ser em termos nominais ou absolutos. Basta apenas que seja uma queda relativa, isto é, que os preços aumentem menos que os salários — ou, colocando de outra forma, que os preços ao menos sejam menores do que seriam caso o único fator atuante fosse um aumento na quantidade de dinheiro e do volume de gastos na economia.

    Quando finalmente se entende que o real aumento do padrão de vida dos assalariados advém da redução relativa de preços e não do aumento nominal dos salários, não é difícil chegar à conclusão de que os sindicatos não apenas são totalmente ignorantes em relação a como elevar o padrão de vida dos assalariados em geral, mas também atuam diretamente contra os interesses dos assalariados em geral. Em vez de agirem de modo a facilitar investimentos em bens de capital, o que aumentaria a produtividade (logo, os salários) e a oferta de bens de consumo, e consequentemente reduziria os preços relativos destes bens, os sindicatos defendem medidas que necessariamente obstruem esses investimentos, como impostos, encargos sociais e trabalhistas, e maiores gastos com salários.

    Sindicatos podem aumentar o padrão de vida de pequenos grupos de trabalhadores, mas apenas ao adquirirem privilégios monopolísticos que limitam o número de trabalhadores que podem ser empregados em uma determinada linha de trabalho ou ao gerarem ou manterem uma necessidade artificial pelos serviços de trabalhadores de determinadas áreas. Porém, nestes casos, os sindicatos estão reduzindo o padrão de vida de outros trabalhadores. Os trabalhadores que forem impedidos de trabalhar em áreas dominadas por sindicatos terão de encontrar empregos em outros setores, nos quais o acréscimo de sua mão-de-obra servirá apenas para reduzir ainda mais os salários. Se houver leis de salário mínimo que proíbam uma redução salarial, então estes trabalhadores desalojados acabarão simplesmente desempregados ou tomando os empregos de outros trabalhadores menos qualificados, os quais ficarão desempregados.

    À luz de tudo isso, é possível entendermos como a produtividade da mão-de-obra ao longo dos últimos 225 anos aumentou em uma escala de vários múltiplos, e com um comparavelmente enorme efeito positivo sobre os salários reais (a quantidade de horas de trabalho necessária para se adquirir bens e serviços corriqueiros vem caindo continuamente) e sobre o padrão de vida geral, e sem nenhum efeito negativo sobre a taxa de desemprego. Com efeito, o número total de assalariados empregados também aumentou enormemente, em linha com o aumento populacional possibilitado pelo aumento na produtividade da mão-de-obra e o consequente aumento no padrão de vida.

    A única contribuição dos sindicatos a esse processo é impedi-lo ou retardá-lo. A cada avanço ocorrido no mundo empreendedorial, os sindicatos tentam combater o aumento da produtividade sempre que isso ameaça reduzir o número de empregos disponíveis para seus membros. Com efeito, eles abertamente se orgulham de “manter pessoas empregadas” quando deveriam era se orgulhar de criar bens e ser produtivos, aparentemente incapazes de compreender que manter empregos exigindo uma mão-de-obra maior do que a necessária para produzir um determinado bem serve apenas para impedir a produção de outros bens, os quais, conjuntamente a esse bem em particular com o qual eles estão preocupados, poderiam aumentar o padrão de vida dos trabalhadores.

    Para continuarem existindo, sindicatos necessitam de um “sangue fresco” que possa ser continuamente sugado. Sua mais abundante e fecunda fonte nas últimas décadas tem sido os funcionários públicos, que hoje formam a maioria de seus membros. Ao fazerem vultosas contribuições para a campanha de políticos corruptos, e ao obrigarem seus membros a votarem em massa nestes políticos, os sindicatos dos funcionários públicos podem garantir salários e aposentadorias magnânimas (para não dizer bizarras) para seus membros, tudo financiado pelos pagadores de impostos do setor privado. Em face das iminentes falências governamentais ao redor do mundo, este processo parasitário vem encontrando crescente oposição. A esperança do setor produtivo é que ele esteja hoje próximo de seu fim.

    Portanto dia 30 de agosto NÃO É O DIA DO GRITO DOS EXCLUÍDOS, MAS SIM, DOS DIRIGENTES DE SINDICATOS PELEGOS, FAZEREM SEU TEATRINHO, USANDO E ABUSANDO DOS INCAUTOS TRABALHADORES.

    • Sua concepção burguesa da economia, Gladimir, faz você delirar. Não aumentar o salário dos trabalhadores para gerar mais mão de obra e abaixar o preço das mercadorias. Gladimir, você conhece a mais-relativa? Ah, você é anti-marxista, mas não entendeu. Com o investimento cada vez maior em máquinas, patrões aumentam a produtividade o tempo todo, dispensam trabalhadores e os preços caem e caem e caem… e depois… BUUUUUM… o capitalismo entra em crise, porque máquina não gera mais-valia… ah, mas na sua teoria os capitalistas vão ser bonzinhos se os sindicatos ficarem bem quietinhos e nunca mais lutarem por aumento de salário… e aí ao invés de máquina, os patrões bonzinho vão voltar para um modo de produção anterior à REVOLUÇÃO INDUSTRIAL e vão contratar uma infinidade de trabalhadores a salários bem miseráveis… você devaneia, Gladimir… você tem um escravocrata dentro de si… seu capitalismo, Gladimir, não tem saída. É o sistema da miséria, da contradição, do desemprego. Seu capitalismo não planeja a produção. É um desespero por encher o bolso dos patrões e isso joga os próprios burgueses para engolirem um ao outro na busca por acelerar a produção para extrair mais-valia do capitalista que prefere investir em salário, durante o tempo que o outro não comprar máquinas para acelerar a produção. Vai estudar a mais-relativa, Gladimir, assim você diminui seus devaneios capitalistas. E talvez use Marx para pelo menos ser um capitalista mais consciente, risos. Vai na fé! Dia 30 de agosto é o dia de lutar para mudar a vida da maioria da população que trabalha, os trabalhadores, os que produzem a riqueza do mundo.

  8. Os socialistas sempre se dizem defensores dos pobres, será que é por isso que em todos os países socialistas todo mundo é pobre?
    Seguindo seu exemplo, de indicar livros, porque professores socialistas livres de história não indicam o mais novo livro do jornalista Leandro Narloch: Guia politicamente incorreto da história do mundo.
    Através de uma escrita simples e objetiva ao contrario da escrita de Marx (e as vezes irônica), ele destrói muitos mitos que é passado até mesmo pelos professores de história nas escolas e universidades.
    Para escrever este livro, o jornalista recorreu a diversas fontes e trabalho de diversos historiadores e economistas (ele inclusive chega a citar Mises!)

    http://www.iba.com.br/blog/iba/2013/07/leandro-narloch-joga-tomate-na-versao-ultrapassada-da-historia-do-mundo/
    Quanto aso sindicatos só estão brigando contra a atual norma porque querem a grana toda só pra eles. Quando só existia a CUT era uma coisa, mas, com outras Centrais atuantes, o direcionamento da Contribuição Confederativa da CLT ficou dividido. Se eles conseguirem o “fim do imposto sindical” (a rigor, fim da contribuição confederativa obrigatória com distribuição direcionada de recursos na forma da lei), eles podem restabelecer nas Convenções Coletivas/Acordos Coletivos essa cobrança – mas direcionando da forma que bem entenderem.

    Boa parte dos Sindicatos da CUT já tem fonte de renda compulsória nas CCTs. Eles podem prescindir da Confederativa, justamente para minguar os recursos para Centrais menores. Aprenda: na economia, tão ou mais importante quanto aquilo que se vê é aquilo que não se vê.
    Estes críticos sarcásticos socialistas livres são irritantes e digno de pena ao mesmo tempo, pois o dia em que eles abrirem uma empresa e vivenciarem as dificuldades do dia a dia, ai eu quero ver eles falarem bobagens de burguês safado e coisa tal…
    Pimenta nos olhos dos outros é refresco e fazer caridade com o chapéu alheio é fácil, mas nunca se esquecer que,rapadura é doce mas não é mole.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s