Opressão: Empregada doméstica, negra, mulher, vítima de assédio sexual, perde emprego. Alguém se importa?

Nesse Blog, não nos calamos perante as opressões, as explorações, os atrasos e os obscurantismos da humanidade. Hoje, vimos aqui problematizar um caso concreto de opressão, como muitos outros que acontecem no Brasil, e que muitas vezes não costumam aparecer em nossa sociedade capitalista hipócrita, pois os oprimidos, ideologicamente, sentem medo e até vergonha de denunciar, até porque sentem que as leis não os protegerão e serão ainda mais prejudicados caso denunciem.

Uma amiga minha, empregada doméstica, negra, mulher, toda cheia de vergonha, contou-me hoje a cruel e lamentável história: “fui agarrada por detrás pelo marido da minha patroa, enquanto lavava as louças do almoço e, no momento, dei um grito assustada e, nesse mesmo instante, a minha patroa chegou em casa e perguntou: ´o que está acontecendo aqui?`. Senti muita vergonha, fui para o quartinho da empregada, e fiquei lá tremendo de vergonha diante do que aconteceu. A patroa veio conversar comigo depois e me disse que o seu marido já tinha feito isso antes com outras empregadas domésticas e que iria me despedir para não acontecer de novo comigo. Eu era obrigada a usar jaleco por cima de minha roupa e só agora estou pensando, devia ser para esconder o meu corpo…”, ou seja, a patroa já sabia dos assédios sexuais de seu marido. Fiquei triste, ao ver o sofrimento da minha amiga, e ao pensar na situação trabalhista das empregadas domésticas.

Perguntei se ela tinha carteira assinada e ela me disse que não. Senti a crueldade do mundo capitalista burguês e opressor. Uma mulher trabalhadora, vítima do machismo, vítima do racismo, vítima do analfabetismo cultural, vítima do assédio sexual, vítima da falta de direitos trabalhistas, vítima da falta de moradia, estava ali, em minha frente, envergonhada, relatando práticas opressoras desse mundo capitalista. Aos que tem sensibilidade, o cruel se revelou: empregada doméstica, oprimida, humanamente trabalhadora e socialmente desamparada. Alguém se importa? E pior, ficou com a autoestima profundamente abalada com evento e, obviamente, como muitas outras empregadas domésticas desse país e do mundo, com um profundo medo de denunciar, porque tem medo de piorar a situação para elas e não conseguirem arrumar mais emprego.

Consequências da crueldade: minha amiga, agora, está simplesmente desempregada. Vai mais uma vez para a fila das domésticas que procuram emprego nas agências das domésticas da cidade. O empresário que a assediou segue livre em sua hipocrisia burguesa opressora. A patroa segue ocultando os assédios sexuais do marido. E a minha amiga, vítima da covardia do burguês opressor, não sabe como pagar o aluguel do próximo mês.

Contei a minha amiga que iria discutir essa opressão aqui no Blog pelo menos para trazer à tona a necessidade de se lutar contra tais práticas opressoras silenciosas. Ela ficou desesperada. Tem medo, tem vergonha, e principalmente tem pavor de ficar marcada e não arrumar mais emprego depois. Ela disse, apavorada, o seguinte enunciado: “sabe como é essa gente rica, me marcam e daí eu não arrumo mais emprego nas agências da cidade!” Enfim, é cruel ou não é, saber que isso acontece nos bastidores de uma casa em que se contrata uma empregada doméstica? E pior: quanta pressão econômico-psicológica ainda pesa sobre o ombro dessas trabalhadoras? Fiquei me perguntando: quantas dores, dessas trabalhadoras domésticas, que já se perderam e que ainda se perderão no silêncio dessa sociedade capitalista hipócrita e opressora?

Sabemos que as práticas opressoras não são eternas, não são inevitáveis, não são naturais, nem tampouco necessárias. Mas para não sê-lo, para mudar tal situação, sabemos também que as opressões não podem se perder no silêncio e no esquecimento. Às companheiras trabalhadoras domésticas, vítimas da opressão machista, vítimas do assédio sexual, vítimas da opressão racista, faço aqui saber minha indignação política e exigência aos que fazem leis nesse país: é preciso haver proteção trabalhista e, sobretudo, segurança física para que as trabalhadoras domésticas possam ter coragem de denunciar. Do contrário, minha amiga e muitas outras empregadas domésticas, por falta de proteção trabalhista e por falta de segurança, não tem e não terão coragem de denunciar as opressões. No capitalismo, individualmente, a corda sempre arrebentou do lado mais fraco. É isso que elas temem.

Ah, argumentaria o preconceito quanto às profissões: mas são “só” trabalhadoras domésticas. Alguém se importa? Os Socialistas Livres se importam.

Acessem nosso Blog: http://www.socialistalivre.wordpress.com

Anúncios

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s