Vencer na vida, ser alguém na vida: mais uma prática ideológica capitalista que precisa ser combatida!

Conforme temos dito em nosso Blog, debateremos aqui sobre várias questões que, em nosso ponto de vista, emperram a construção de uma sociedade socialista livre. Hoje, analisaremos mais especificamente sobre a prática ideológica do “vencer na vida”, do esforçar-se para “ser alguém na vida”.

Não fomos nós, os socialistas livres, os primeiros a detectar essa prática, muitos já debateram esse tema antes de nós. Queremos apenas colocar nossas inquietações diante dessa interpelação econômico-ideológico-jurídico-discursiva. Achamos fundamental que todos os militantes por um mundo melhor tenham essa compreensão política.

Onde naturaliza-se, eterniza-se e faz-se parecer necessária essa prática econômico-ideológico-jurídico-discursiva do “vencer na vida”, “vir a ser alguém na vida”? Basta observar, tal prática manifesta-se pela linguagem, seja na mídia, na família, na escola, na igreja, nos bate-papos informais, no esporte, na política reformista-burguesa, e muitos outros espaços.

A grande questão é: esse discurso do “vencer na vida”, do “vir a ser alguém na vida” serve para quê? Não temos dúvida, serve para reproduzir as relações de produção capitalistas. Quem não duvida, não questiona essa ideologia, esse discurso, essa interpelação econômica, essa regra jurídica que diz que todo cidadão pode e deve vencer e se adaptar, muito provavelmente não se interessará pelas propostas e pelas lutas socialistas. Quem acredita que é preciso “vencer na vida, ser alguém na vida”, com certeza, está muito preocupado em disputar o jogo da pretensa felicidade burguesa-capitalista.

 O mesmo projeto, “vencer na vida”, “vir a ser alguém na vida”, consuma-se por vários meios: se o indivíduo se tornou famoso na mídia, arrumou um emprego de prestígio, fez um curso universitário de destaque, virou dirigente religioso em evidência, transformou-se em um bom jogador de futebol, saiu do agreste e virou presidente, saiu da favela e se tornou músico reconhecido, casou-se com alguém endinheirado, abriu seu negócio próprio, fez doutorado, e etc, então o indivíduo é visto como vencedor. Enfim, sempre a mesma ladainha confirmando a reprodução da prática econômico-ideológico-jurídico-discursiva capitalista que quer explorar, oprimir e dominar os supostos “ninguéns do mundo”, já que nem todos conseguirão ser “vencedores”, assim, logicamente os ninguéns devem sofrer-pagar por isso.

Nós, socialistas livres, colocamos em dúvida essa prática, e achamos que ela deve ser debatida com todos aqueles que começam a se engajar na luta socialista da classe trabalhadora. Não é possível ficar com o pé em duas canoas: uma na luta socialista, outra na luta desesperada por ser alguém na vida. Temos que duvidar dessa prática, ela não é natural, muito menos necessária, é construída, portanto, pode ser radicalmente outra. Não percamos nenhum minuto com tais ilusões.

Sabem qual é maior enganação dessa prática econômico-ideológico-jurídico-discursiva? Considerar que somos um “ninguém na vida”. É óbvio, se o capitalismo diz que precisamos lutar para ser “alguém na vida”, para “vencer na vida”, significa então que somos um NINGUÉM. Desde crianças somos tratados como “um ninguém” que precisa ser “alguém no futuro”. Sempre no futuro. A criança não vale pelo ser humano que é hoje, aqui e agora, a maioria do povo também não é valorizado pelo ser que é. E, assim, milhões de trabalhadores seguem toda sua vida acreditando que é um NINGUÉM. É cômodo para o Estado Capitalista que todos se sintam com a auto-estima baixa, que todos se sintam um ninguém que não conseguiu vencer na vida, que não conseguiu ser alguém na vida. O NINGUÉM aceita tudo, aceita a crueldade do mundo sem se rebelar, ele é convencido a achar que é um nada na vida e, pior, é convencido também a achar que a culpa é dele.

Se somos considerados um NADA, se somos considerados um NINGUÉM, então é preciso vencer, é preciso tornar-se alguém, é assim que funciona a coisa. A vida passa a ser vista como um jogo desesperado à procura do sucesso, como um campeonato de futebol, uns vencem, outros caem para a segunda divisão. Infelizmente, muitíssimos não vão atingir a meta. Milhões serão simplesmente visto como um NINGUÉM dentro do sistema, porque não há espaço para todos se tornarem pequeno-burgueses ou burgueses. O negócio funciona com base na exploração dos trabalhadores.

Nós, socialistas livres, chamamos você a se rebelar contra essa prática econômica-jurídica-ideológica-discursiva. Paremos de acreditar nessas fantasias. Todos já somos ALGUÉM na vida. E, sendo o ALGUÉM que já somos, queremos todos os nossos direitos. Queremos educação pública de qualidade, queremos saúde pública de qualidade, queremos alimentação digna, queremos moradia digna, queremos transporte público digno, queremos emprego para todos, queremos uma vida socialista já. Não vamos correr mais atrás dos fantasmas ideológicos que a burguesia prega para manter-se no domínio.

Não podemos perder mais tempo, não somos eternos nessa terra, não dá para ficar a vida toda esperando as promessas falsas da burguesia e dos seus colaboradores. Devemos gastar nosso tempo de vida para criarmos já as condições para apreciarmos com alegria tudo aquilo que magicamente já somos e que tentam nos fazer esquecer: somos a vida, somos vivos, somos poderosíssimos, somos singulares, somos seres humanos, estamos em um planeta mágico, flutuando no infinito, cheio de potencial para não existir miséria, para não existir exploração, para não existir opressão. Exigimos pleno respeito já, não no futuro, quando nos considerarem “alguém” por algum motivo pífio.

Nós já somos! Esse é o grande segredo que a alienação ideológica não deixa ver. Repitamos bem alto para nós mesmos: NÓS JÁ SOMOS! EU JÁ SOU! EU SOU A VIDA! E estar vivo é a maior riqueza que já temos! Não somos um NINGUÉM. E queremos vida plena para todos, acordamos, não podemos esperar mais, esperar é uma grande ilusão que os capitalistas e os reformistas de todos os naipes pregam!  Queremos o Socialismo Livre já, pois o capitalismo nos adormece com suas mentiras. O capitalismo trata a todos como um NINGUÉM. Balela, já existimos, somos já tudo que é possível ser nessa vida, ALGUÉM VIVO. Eu sou, você é, todos somos já alguém especial nessa vida! Basta de sonhos burgueses ilusórios!

Então queremos outra forma de organizar a VIDA, hoje, aqui e agora. Livremo-nos dessas ideologias atrasadas e não percamos mais tempo, engajemos todos na construção de outra ordem mundial. Socialista, livre, democrática, com justiça social, sem exploração, sem opressão.

Por: Gílber Martins Duarte – Socialista Livre – Conselheiro do Sindute-MG e diretor da subsede do Sindute em Uberlândia – Professor da Rede Estadual de Minas Gerais – Doutor em Análise do Discurso/UFU – Membro da CSP-CONLUTAS.

Acessem nosso Blog: http://www.socialistalivre.wordpress.com

Sobre socialistalivre

Esse Blog está a serviço da Luta pelo Socialismo. Defendemos a plena liberdade do ser humano, mas somos radicalmente contra a liberdade de explorar, como a burguesia faz, e contra a liberdade de oprimir como os machistas fazem, os racistas fazem, os homofóbicos fazem, os praticantes de bullying fazem, os preconceituosos fazem, os possessivos fazem e os autoritários de plantão fazem. Assim, defendemos que cada corpo-consciência deve ter liberdade de ser o que ESCOLHE SER, desde que esta liberdade não oprima e explore os outros! Defendemos a plena liberdade de postura crítica e a plena democracia operária, todos devem ter o direito de expressar o que pensam! Defendemos a Revolução Socialista e a necessidade de libertação da classe trabalhadora do jugo do capitalismo. No entanto,somos contra comandos de hierarquias políticas ou de figuras públicas mais poderosas no seio dos lutadores que travam a batalha pelo socialismo. Defendemos que cada militante deve ousar pensar por si mesmo, cada militante deve ter o direito de concordar, mas também de discordar daquilo que julga equivocado, por isso nos definimos como Socialistas Livres e esse Blog está a serviço dos que desejam militar de acordo com essa concepção. Convidamos a todos a conhecerem nosso jeito diferente de entender e de praticar a política socialista, com liberdade, democracia operária, direito de crítica e respeito ao diferente. Saudações Socialistas Livres.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Vencer na vida, ser alguém na vida: mais uma prática ideológica capitalista que precisa ser combatida!

  1. Marcio leite disse:

    Que Deus abençõe e muito o autor desta obra prima. Texto genial. Meus aplausos e parabéns!! Concordo em tudo. As pessoas são tratadas desdo berço como ninguém. Pra ser alguém tem que crescer e conquistar tudo e todos. Fora isso vai morrer como ninguém….. Um absurdo mesmo!!!!

  2. Tem uma canção do Raul Seixas que se encaixa perfeitamente no tema do artigo acima:
    “O que que você quer ser quando você crescer?”
    Vale a pena escutá-la e prestar atenção no que diz a letra…

  3. David disse:

    Eu entendo, mas temos no adaptar ao sistema vigente até q ele seja alterado se não viveremos mas ruas como andarilhos pregando o socialismo dentro do sistema capitalista q vai nos reprimir.
    A solução é lutar contra o capitalismo mas viver e se adaptar a ele enquanto ele for o sistema vigente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s